O desafio da saúde

Gestão. Muito mais que oferta de remédios e procedimentos cirúrgicos de alta complexidade, esse é o grande desafio da saúde pública em Santa Catarina. É preciso reconhecer que o trabalho do Estado para distribuir as cirurgias de média e baixa complexidade entre as cidades é louvável.

Entretanto, para a maioria das pessoas, ainda fica a impressão que o governo, tanto estadual quanto federal, está enxugando gelo.

A prática de convênios, muitas vezes motivados por mero devaneio político, no passado, deixou um passivo difícil de resolver, que precisará ser encarado com pulso firme pelo novo governo. A
administração eficiente desse problema do passado contribuirá para que mais recursos estejam disponíveis para investimento e aquisição de medicamentos, reduzindo por conseguinte a judicialização do problema.

Não se pode aceitar que o cidadão seja obrigado a recorrer à justiça toda vez que lhe falta algo básico, como a insulina, por exemplo. O gestor de saúde do Estado só pode se considerar de fato eficiente se for capaz de reduzir substancialmente essa necessidade, que hoje cresce em todos os municípios do Estado.

Outro grave problema a ser resolvido em conjunto pelas esferas de governo é o da oferta de pessoal em quantidade suficiente para o atendimento da população. O Sistema Único de Saúde é considerado o maior do mundo e deveria funcionar como uma espécie de plano de saúde. Mas precisa, antes disso, melhorar a qualidade de atendimento, reduzindo as filas em postos de saúde e, em especial, para a realização de exames de média e alta complexidade. Há muito a ser feito, mas nada é mais importante do que atender quem precisa com respeito e dignidade.

Mais Opiniões Editoriais

Editorial

Os estragos causados pela chuva do fim de semana em Santa Catarina servem novamente de alerta para a […]

Editorial

Liberdade para trafegar em qualquer ve­locidade, desrespeitando a sinalização de trânsito e sem nenhuma punição. É só o […]

Editorial

O julgamento do responsável pelo atro­pelamento e morte do jornalista Roger Bittencourt leva a duas reflexões. Uma sobre […]

Editorial

Os procons municipais são hoje a única ins­tância onde os consumidores poderão en­contrar algum tipo de atendimento para […]