Mesmo com menor temperatura do ano, fim do feriadão é de praia em Florianópolis

Um mês após o início do outono, a redução na quantidade de pessoas nas praias de Florianópolis está ainda mais perceptível. Neste domingo (23), último dia do feriado de Tiradentes, o movimento na Joaquina, no Leste da Ilha, refletia o vento frio que marcou a noite de sábado (22). “A água aqui está gostosa, ontem na Lagoa estava bem mais gelada”, garante Vergínia Lúcia Tuono Botelho, de 64 anos. A dona de casa, nascida em São Paulo, não vinha à cidade há mais de cinco anos e escolheu o feriadão para visitar o irmão. “Vim de manhã caminhar na praia e estou aqui desde então”, declara. Nesta madrugada, a Capital registrou a menor temperatura do ano: 13°C.

Vergínia Lúcia Tuono Botelho, de 64 anos, considerou a água da Lagoa mais gelada que a da Joaquina - Daniel Queiroz/ND
Vergínia Lúcia Tuono Botelho, de 64 anos, considerou a água da Lagoa mais gelada que a da Joaquina – Daniel Queiroz/ND

Foi na areia da praia da Joaquina, aliás, que Emília Versteeg Vedana, de 3 anos, deu os primeiros passos, aos 11 meses. Na tarde deste domingo, a pequena paulista corria de sua mãe estampando um sorriso no rosto. O casal Florentina e Henrique, da Holanda e de Porto Alegre, respectivamente, conta que a filha aproveitou para nadar e brincar na areia.

“Ficamos surpresos com o tempo bom, porque ontem à noite estava bem mais frio”, conta Florentina, que chegou à Joaquina por volta das 10h e encontrou pouco movimento. “Prefiro a praia desse jeito, bem vazia, no fim da temporada. Dá pra aproveitar com mais tranquilidade”, justifica a moradora do Centrinho da Lagoa.

Henrique e Florentina Versteeg Vedana passaram o dia na Joaquina com a filha Emília - Daniel Queiroz/ND
Henrique e Florentina Versteeg Vedana passaram o dia na Joaquina com a filha Emília – Daniel Queiroz/ND

Distante dos gritos de torcida de um campeonato de beach tennis, realizado próximo à entrada da praia, a consultora de comércio exterior Mara Rúbia Alves, 45, relaxava lendo um livro sobre autismo. Natural de Itajaí, ela nunca havia ido à Joaquina e preferiu passar o tempo nas pedras do costão.

“Estou aqui há mais de uma hora e não dá vontade de levantar”, garante Mara, que costuma vir à Capital nos finais de semana para visitar uma das filhas, Helena Rodrigues, 24, que a acompanhava. A outra filha, Lívia Rodrigues, 22, desfrutava do visual do costão para gravar imagens para um documentário da faculdade de cinema. “A minha praia favorita é o Matadeiro, mas a Lívia tinha que vir aqui filmar então viemos dar um apoio”, afirma Mara.

A consultora de comércio exterior Mara Rúbia Alves escolheu o costão da Joaquina para ler um livro - Daniel Queiroz/ND
A consultora de comércio exterior Mara Rúbia Alves escolheu o costão da Joaquina para ler um livro – Daniel Queiroz/ND

A cerca de 300 metros do costão e dos restaurantes da orla, dezenas de pessoas se alinhavam nas partes mais altas das dunas da Joaquina para praticar sandboard. Enquanto crianças pequenas contavam com a ajuda dos pais, um grupo de jovens adultos decidia a melhor maneira de descer uma das dunas mais íngremes, que terminava em rampa de madeira.

“É muita adrenalina. Gosto muito de snowboard, e o sandboard é o que mais se assemelha a isso”, revela Átila Ninow, de 27 anos. O gaúcho, que mora há cinco anos em Florianópolis, pratica o esporte com os amigos todos os finais de semana, exceto quando chove. “Criamos um grupo no WhatsApp para marcar os encontros. Esse é o melhor lugar para praticar o sandboard porque é de fácil acesso, então não precisamos caminhar muito para chegar às dunas”, explica.

O sandboard é uma das atividades favoritas do gaúcho Átila Ninow, de 27 anos - Daniel Queiroz/ND
O sandboard é uma das atividades favoritas do gaúcho Átila Ninow, de 27 anos – Daniel Queiroz/ND

Frente fria, chuva e mais frio

De acordo com o meteorologista Erikson de Oliveira, da Epagri/Ciram, o vento gelado registrado em Florianópolis no sábado foi causado por uma massa de ar frio que chegou a Santa Catarina na última sexta-feira (21). O vento sul fez com que, neste domingo, a Capital registrasse a temperatura mais baixa do ano, 13°C. Na região da Serra, o frio foi ainda maior: em Bom Jardim da Serra a temperatura chegou a 1,5°C. “Em Florianópolis o domingo foi de céu claro, com poucas nuvens, e geralmente esses são os dias mais frios”, explica o meteorologista.

Nos próximos dias, conforme Erikson, o tempo irá variar mais ainda. Enquanto na segunda-feira a temperatura deve ser mais alta e o ar mais seco, o frio tende a se dissipar a partir da tarde. A mínima prevista é de 16°C e a máxima é de 25°C. Já na terça e na quarta, quando uma frente fria passa pela região, deve haver chuva. O tempo volta a ficar seco na quinta, com a chegada de outra massa de ar frio em meio a um dia ensolarado. Para quem pretende aproveitar a praia no próximo final de semana, a solução é ter um plano B: segundo Erikson, o tempo deve ser ainda mais frio do que no feriadão de Tiradentes.

Cidade

Nenhum conteúdo encontrado