Após queda de avião de empresa catarinense, Campo de Marte está fechado

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O aeroporto do Campo de Marte, zona norte de São Paulo, está fechado para pousos e decolagens nesta segunda-feira (30) para facilitar o trabalho de perícia no avião de pequeno porte que caiu na noite de domingo (29).

O piloto da aeronave morreu após ficar preso nas ferragens, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Outras seis pessoas foram socorridas com vida para hospitais da capital paulista. As informações iniciais apontavam que os sobreviventes foram socorridos com quadros de traumatismo craniano e de abdômen.

Vista do avião modelo King Air C90, no Campo de Marte, Zona Norte de São Paulo, nesta segunda-feira - Willian Moreira/Futura Press/Folhapress
Vista do avião modelo King Air C90, no Campo de Marte, Zona Norte de São Paulo, nesta segunda-feira – Willian Moreira/Futura Press/Folhapress

O piloto do avião, que morreu, é Antonio Traversi. Experiente, tinha mais de 5 mil horas de vôo e trabalhava há 20 anos para a empresa. Conforme apurou a RICTV Record, todos os sobreviventes continuam internados. Geraldo Denardi, Enzo Denardi, Agnaldo Nunes e Bene Souza estão estáveis. Agnaldo Crippa e Nereu Denardi não tiveram o estado de sáude divulgados. O corpo do piloto ainda não foi liberado.

A aeronave era de propriedade da empresa de embalagens Videplast, com sede no município catarinense de Videira. As vítimas eram fundadores ou funcionários da empresa. O avião de prefixo PP-SZN vinha de Santa Catarina quando arremeteu duas vezes e acabou caindo na pista de ponta cabeça. Após cair, a aeronave sofreu uma explosão e pegou fogo. 

Ainda segundo a reportagem da RICTV Record, o piloto tentou pousar, mas não tinha certeza se o trem de pouso tinha abaixado. Por isso, ele entrou em contato com a torrre para que confirmassem a informação. Mais uma vez ele tentou pouso e arremeteu. Na terceira tentativa aconteceu o acidente. 

Consta no registro da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) que a aeronave é um bimotor turboélice BE9L, fabricado em 2008 pela Hawker Beechcraft, com capacidade para sete passageiros. 

Em nota a FAB (Força Aérea Brasileira) informou que investiga as causas do acidente. Uma equipe foi enviada ao Campo de Marte para fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter visto queda. Até que a perícia seja feita não é possível apontar as causas do acidente.

O aeroporto registrou acidentes graves nos últimos anos. A última grande tragédia foi em 2016, um monomotor com sete pessoas a bordo caiu em cima de uma casa logo após decolar do Campo de Marte, rumo ao Rio de Janeiro. Entre as vítimas, estava um ex-presidente da Vale, Roger Agnelli. Os moradores da casa atingida fugiram pelos fundos e não sofreram ferimentos graves.

Em 2007, outra aeronave que acabara de decolar também caiu sobre uma casa, deixando oito mortos, incluindo um bebê.

Geral