1º Casamento Coletivo Homoafetivo de Florianópolis tem 64 casais inscritos e prazo prorrogado

Na semana passada, a Suprema Corte dos Estados Unidos legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o território do país, fazendo reacender o assunto nas redes sociais. No Brasil, o STF (Supremo Tribunal Federal) equiparou o casamento homossexual ao heterossexual em 2011, e todos os cartórios são obrigados a oficializar a união. Na prática, no entanto, casais gays continuam enfrentando dificuldades para se casar.

Para auxiliá-los a realizar esse sonho, a Associação Amigos em Ação Santa Catarina irá promover o 1º Casamento Coletivo Homoafetivo da Grande Florianópolis, dando apoio jurídico e viabilizando uma cerimônia oficial. Segundo a organizadora do projeto, Luciana de Bastos Silva, até o momento 64 casais já estão inscritos e é possível se cadastrar até 5 de agosto.

“Queremos completar 100 casais, mas caso o número ultrapasse muito essa cota, vamos realizar uma segunda cerimônia”, contou Luciana, que é conhecida como Lú do Bem e desde 2005 auxilia na regularização de situação matrimonial de heterossexuais.

Fernando Mendes/Arquivo/ND

Adesão já conta com 64 casais

 

O medo do preconceito
Acostumada a ajudar casais heterossexuais, a coordenadora voluntária decidiu fazer um teste e abrir inscrições para um casamento coletivo para homossexuais. Ela, então, disponibilizou um período de 30 dias para pré-inscrições, com início em 1º de junho, e ficou surpreendida com a grande procura, decidindo estender o prazo.

Segundo Luciana, a maioria dos casais já vive junto há muitos anos, mas não havia entrado com a documentação oficial por sentir medo ou não entender todos os direitos junto à lei. “Existe um constrangimento deles ainda”, relatou.

Com apoio do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, a coordenadora auxilia em toda a regularização de documentos que devem ser apresentados junto ao cartório, além de disponibilizar uma carta de apresentação do projeto que, segundo ela, esclarece questões sobre a união homoafetiva e agiliza todo o processo.

“A documentação é toda adiantada e no dia da cerimônia os casais já saem com a certidão de casamento na mão”, disse.

A cerimônia
A cerimônia coletiva está marcada para 26 de setembro, no Cambirela Hotel, no Jardim Atlântico, em Florianópolis, com espaço que comporta aproximadamente mil pessoas. Os casais poderão levar duas testemunhas e, inicialmente, seis convidados.

“Todos os noivos e noivas vão se vestir de branco e a cerimônia vai contar com bolo e brinde. Depois, eles vão cada um fazer suas festas individuais para comemorar”, detalhou Luciana, ao explicar que o dinheiro para viabilizar a estrutura foi arrecadado por meio de ações da instituição. O apoio jurídico não é cobrado dos casais.

“Adorei trabalhar com eles, são pessoas muito comprometidas e organizadas. É uma experiência bem diferente. Eu vejo uma força neles, algo inexplicável”, comentou a coordenadora, emocionada. “Decidi ajudar essas pessoas porque sou de uma instituição social, não posso ter discriminação, o que eu quero é ajudar as pessoas a serem felizes”.

Inscrições
No projeto, casais que moram na Grande Florianópolis podem optar pelo casamento civil ou contrato de união estável. Os de fora da Capital, por sua vez, podem apenas realizar o contrato de união estável. O apoio é gratuito.

As inscrições para auxílio de documentação e participação do casamento coletivo podem ser feitas até 5 de agosto, no site da Associação Amigos em Ação, ou por contato telefônico.

Mais conteúdo sobre

Geral