Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Trio apresenta noite de música clássica ao som do centenário órgão da Igreja da Paz, em Joinville

Apresentação será na noite desta quarta-feira (26), a partir das 20h, com entrada franca.

Redação ND
Joinville

A Igreja da Paz, localizada no Centro de Joinville, terá na noite desta quarta-feira (26) uma noite dedicada à musica com um concerto de órgão de tubos. Os organistas Dieter Pabst, 29, Luis Mello, 28, e Lucy Mary Leão, 56, irão tocar clássicos barrocos de compositores alemães, italianos e de um americano. O evento começa às 20h e a entrada é franca.
O concerto marca o encerramento do semestre do projeto “15 minutos com o Órgão”, realizado em todos os quartos domingos de cada mês e nas terças-feiras posteriores, sempre 15 minutos antes do início dos cultos na Igreja da Paz. Para o evento de hoje, o trio de organistas fez uma seleção de tudo o que foi tocado ao longo do semestre.
A expectativa é de que o concerto dure em torno de 50 minutos. A ideia, segundo Lucy, é manter o caráter pedagógico das apresentações do projeto. Antes de começarem a tocar, os organistas vão explicar um pouco sobre os compositores e o contexto de cada peça. “Isso é importante para o público, ajuda a formar plateia”, acredita Lucy.

 

Fabrício Porto/ND
Lucy, Dieter (E) e Luis (D) apresenta grandes clássicos renascentistas

 


Apesar de os fiéis da Igreja da Paz não estarem muito acostumados com apresentações antes dos cultos, Lucy garante que o projeto está sendo um sucesso. “Fomos conquistando o público, porque muitos não estavam acostumados, criamos uma rotina e eles gostaram”, relata a organista. A recepção foi tão boa que, segundo ela, as pessoas pediam para tocar mais.
Para dezembro, o trio já lançou um desafio: fazer um concerto com músicas natalinas. “É um desafio pessoal, mas é importante dividir isso com as outras pessoas”, comenta Pabst.

Dedicação ao órgão

Em 2013, Lucy Mary Leão completa 30 anos de órgão. Nascida em São José dos Campos (SP), ela começou a estudar o instrumento em 1983, aos 26 anos, quando já morava em Joinville, influenciada pelo então diretor da Casa da Cultura, onde ela tinha aulas de música. “Me apaixonei logo pelo órgão, estudei em Joinville e Curitiba”, comenta. Nesse período, participou de diversos concertos e deu aulas na Casa da Cultura. Atualmente, está aposentada e se dedica ao instrumento, estudando e ministrando aulas.
A história de Dieter Pabst, aluno de Lucy, é parecida. Começou a estudar o instrumento também aos 26 anos e se apaixonou rapidamente. Ele sempre tocou repertórios do órgão no piano. “Quando reinauguraram depois da restauração, eu ouvi e decidi que queria aprender”, lembra.
Luis Mello começou a estudar órgão mais cedo, mas a paixão foi a mesma. As aulas de música começaram quando ele morava em São Luis-MA, de onde nasceu, a pedido do pastor da igreja. “Sempre gostei de música antiga”, conta.

Instrumento diferenciado

Um dos principais diferenciais do órgão, que encanta músicos e público, é a possibilidade que o instrumento permite de tocar vários timbres, diferente do piano, por exemplo. “Conseguimos tocar uma orquestra inteira no órgão”, conta Lucy. O órgão da Igreja da Paz tem 100 anos e veio da Alemanha. Depois de um tempo em silêncio, foi restaurado e voltou a funcionar.
Hoje, chama a atenção de muitas pessoas. Sempre que possível, alguns interessados podem ter contato e conhecer o instrumento. “O som mexe com as pessoas. Convidamos os curiosos para subir e conhecer, alguns ficam assustados com a dimensão”, diz Lucy. Em Santa Catarina, há um pouco mais de 20 órgãos, mas nem todos em funcionamento.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade