Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Teatro de Joinville mostra sua força em festival estadual

Quatro grupos joinvilenses estarão em Chapecó

Alexandre Perger
Joinville

A partir deste sábado, atores e companhias de diversas regiões de Santa Catarina estarão em Chapecó para o 17º Fecate (Festival Catarinense de Teatro). Até o dia 17 desde mês, quando encerra o evento, 18 grupos levarão 26 apresentações aos palcos do Teatro Municipal e a Sala Multiuso, no Centro de Cultura e Eventos, a Praça Ernesto Bertaso e ainda duas escolas da cidade.

A última edição do Fecate foi em 2011. Ano passado, o festival seria realizado em Concórdia, mas foi cancelado por falta de verba, pois a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte não repassou o patrocínio. Os espetáculos escolhidos pela curadoria para 2012 foram mantidos para este ano. Podem participar do festival todos os associados da Fecate. Para esta edição, foram 73 inscritos.

A grade de programação do festival mostra a força do teatro joinvilense, ao lado de Itajaí e Florianópolis. Com quatro grupos e cinco apresentações, Joinville será a cidade com maior número de representantes em Chapecó. A Cia. Didois será a responsável pela abertura do evento, com o espetáculo Amor Barato, às 20h30, no Teatro Municipal. Ainda vão os grupos Essaé Cia de Teatro-Dança (O Carteiro), Dionisos Teatro (Amor por Anexins e Migrantes) e Companhia Vai! Núcleo de Pesquisa em Teatro (©elas).

O ator e produtor cultural Cassio Correia, integrante da Essaé, ocupa o cargo de presidente da Federação Catarinense de Teatro, entidade que organiza o festival. Para ele, a cena teatral joinvilense é, hoje, uma das mais fortes do Estado. “A Produção Teatral de Joinville vem crescendo a cada ano, alguns grupos ainda estão na fase de experimentações, mas muitos já estão começando a mostrar seus trabalhos também fora”, o que, segundo Correia, “mostra que a qualidade vem aumentando e sendo reconhecida também fora da cidade”.

A cena estadual também vem mostrando força, com vários grupos participando de festivais nacionais. Mas, para que o movimento se consolide ainda, de acordo com Correia, é levar ainda mais a produção para fora de Santa Catarina. “Acredito que trazermos olheiros de fora do estado de outros Festivais seja importante”, diz o presidente.

 

Divulgação/ND
"O Carteiro" usa a técnica do teatro de sombras

Essaé Cia de Teatro-Dança

A peça “O Carteiro”, da Essaé Cia de Teatro-Dança estreou em março de 2012 e já passou por festivais e mostras dentro e fora de Santa Catarina. Utilizando a linguagem do teatro de sombras, pouco conhecida, o espetáculo ganha um diferencial. Por onde passa, está agradando, segundo Cassio Correia, que atua na peça. “A repercussão está sendo ótima. É uma linguagem pouco conhecida, então é bastante encantador”. O espetáculo é inspirado no livro "O Carteiro Chegou", de Allan Ahlberg, e mostra o cotidiano de um carteiro que entrega cartas no mundo encantado dos clássicos literários infantis.

 

Divulgação/ND
Celas aborda a situação das mulheres envolvidas com o crime


 

Companhia VAI! Núcleo de Pesquisa em Teatro

A Companhia VAI! Núcleo de Pesquisa em Teatro participa pela primeira vez do Festival Catarinense de Teatro. Samira Sinara Souza, atriz e integrante do grupo, acredita que o festival pode valorizar e apresentar o trabalho da companhia na sua pesquisa. “Ainda vai reconhecer o trabalho dos profissionais envolvidos estimulando no processo e na vivência do grupo. Serão outras interpretações em relação à encenação”, diz Samira. O espetáculo aborda a narrativa de mulheres carcerárias e egressas do sistema carcerário de Joinville, falando do cotidiano e investigando o que as levou ao crime.

 

Divulgação/ND
Amor Barato é o espetáculo que abre o festival

 

Cia. Didois

O espetáculo Amor Barato, Cia. Didois, estreou em 2006 e também já rodou bastante, passando por várias cidades de Santa Catarina, por meio do Em Cena Catarina, mostra promovida pelo Sesc. “Estamos gratos pela oportunidade de apresentar neste festival que oportuniza trocas, crescimento coletivo e partilha artística”, diz Sabrina Lermen, que dirige e atua na peça. A história fala sobre encontros e desencontros de um casal.

 

Divulgação/ND
Migrantes, da Dionisos Teatro

 

Dionisos Teatro

A Dionisos Teatro é experiente no Fecate, participou das últimas duas edições e este ano vai com dois espetáculos: “Amor por Anexins” e “Migrantes”. Para Clarice Steil Siewert, uma das atrizes do grupo, participar do festival é uma oportunidade de ver os colegas do Estado e visualizar o que está acontecendo no cenário do teatro em Santa Catarina. “É um reconhecimento do trabalho do grupo e também um momento de refletir sobre o que está sendo feito”, diz a atriz. Os dois espetáculos que o grupo irá levar passaram por vários festivais e também são premiados.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade