Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Personagem Tatuí, criado por Humberto Soares, comemora 10 anos

Tatuí nasceu como um desenho de Humberto Soares e teve sua lenda escrita por Luzciane Nascimento

Redação ND
Joinville
Joyce R. Giotti/ND
Criatividade. Humberto Soares e Luzciane Nascimento

Há festa na Cidade das Flores. O menino Tatuí comemora dez anos em alto estilo: terá sua história enfim retratada em livro, assim como as 200 tirinhas em que foi personagem. Uma década sem abandonar a alegria e a preocupação com a natureza, em especial com os palmitos Juçara de que é protetor.

Tatuí tem um pai e duas mães.  Nasceu como um desenho de Humberto Soares, ganhou uma versão em carne e osso da atriz Vera Secco e teve sua lenda escrita por Luzciane Nascimento. Os três amantes das mitologias e dos elementos criaram uma história que hoje não é mais sua. “Tem pessoas que conhecem o Tatuí, mas não me conhecem”, explica Humberto, também intérprete do personagem nas contações de história.

A trajetória do príncipe dos palmitos começou em 2000. À época, Vera Secco levava as brincadeiras de um menino vendedor de picolés para os palcos – em paralelo, Humberto fez o primeiro desenho do personagem, ainda sem nome. As duas ideias se fundiram e deram origem ao Tatuí, que no ano seguinte virou personagem de tirinhas em quadrinhos.

Coube à publicitária Luzciane Nascimento escrever a lenda do Tatuí. “Ela veio dar os elementos que faltavam”, conta Humberto. Quando Vera mudou-se de Joinville, coube ao criador do personagem em nanquim interpretá-lo nas histórias.

E lá se foram dez anos de aventuras. Hoje, Tatuí e a aranha Rana, que o acompanha e insiste em se transformar em menina, vivem no imaginário de crianças. “Sempre gostei das histórias do Saci, e achei que faltava uma lenda nossa. Hoje o Tatuí é isso”, avalia Humberto. Em muitas apresentações, lembra, as crianças realmente acreditam na existência do príncipe dos palmitos, que surge no palco quando o próprio Humberto se transforma.

Para Luzciane, o sucesso do personagem se deve ao seu jeito alegre, suas brincadeiras e a preocupação com o meio ambiente. “Tem um lado social, pelo fato do Tatuí ser humilde e mesmo assim não deixa de ser feliz. Acho que ele transmite isso”, diz. 

Livro contará origem do personagem

O livro que reúne as 200 tirinhas e conta a lenda do Tatuí está sendo finalizado por Humberto e Luzciane. Pela primeira vez, a origem do personagem sai dos palcos e ganha uma versão ilustrada – um trabalho de levar para o papel aquilo que praticamente só existia na imaginação. Serão mais de 150 páginas dedicadas ao príncipe dos palmitos, com lançamento previsto para o segundo semestre.

Mas os projetos não param. Com o livro pronto, Humberto quer contar as histórias do menino em outras regiões do país, além de criar intervenções urbanas e colocar de vez o Tatuí nas ruas.

“Tem muito material pronto que não está no livro, então ainda há vários projetos que podem ser criados”, conta Luzciane. A dupla ainda pretende criar uma peça de teatro com as histórias contadas nas tirinhas, com o mesmo visual preto e branco em que foram publicadas.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade