Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis começa neste sábado; confira a programação

Evento este ano terá filmes como "O Escaravelho do Diabo" e o remake de “Os saltimbancos trapalhões”

Paulo Clóvis Schmitz
Florianópolis
01/07/2017 às 08H21

As imagens do menino de cadeira de rodas que entrou no cinema e viu projetada a imagem de outra criança na mesma condição, sem conseguir desgrudar os olhos da tela, e da menina negra que viu MC Sofia no palquinho e se sentiu representada, por afinidade de gosto e cor da pele, não saem da memória de Luiza Lins. A essas lembranças, a diretora da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis acrescenta outras, como as de crianças que nunca haviam entrado numa sala de projeção e se deslumbraram com a novidade. E há os pequenos que, de tão felizes, agradecem a ela, com o pouco vocabulário que dominam, as horas lúdicas que o cinema permite, numa idade em que tudo é fantasia.

Crianças fogem para libertar avós do asilo em “Fiddlesticks” - Divulgação/ND
Crianças fogem para libertar avós do asilo em “Fiddlesticks” - Divulgação/ND

Por isso, ouvir Luiza falando da Mostra, que começa neste sábado e se estende até o dia 9 no Teatro Governador Pedro Ivo, em Florianópolis, é entender por que o festival já dura 16 anos e ainda envolve e emociona a pequena equipe de coordenação. Perto de 15 mil pessoas devem passar pelas sessões em Florianópolis, mas o evento visita outras 100 cidades e deve superar a marca dos 100 mil espectadores ao longo do ano.

Para a edição deste ano, a Mostra selecionou 44 filmes, entre longas e curtas-metragens, para espectadores de diferentes idades. Como o bom cinema não depende de certificado de origem, há produções brasileiras de vários Estados e filmes que vêm da Alemanha, Inglaterra, França, Suíça, Espanha, Argentina e de países como Irã, Estônia, República Tcheca, Geórgia, Chile, Nigéria e Eslovênia. Santa Catarina se faz presente com a animação “Vagalume” (de Fernanda Silveira) e os documentários “Como fazer um pião” (Rita de Cácia Oenning da Silva) e “Nossa vida no Amazonas: uma resposta às crianças da eFaz” (Kurt Shaw).

Outro destaque é a estreia nacional do longa de animação “Peixonauta – O filme” (2017, 88 min), de Kiko Mistrorigo, Célia Catunda e Rodrigo Eba. No filme, o já célebre peixe/agente secreto criado no Brasil sai pela primeira vez do Parque das Árvores Felizes e vai para a cidade grande com a missão de resolver o misterioso desaparecimento de seus habitantes. Exportado para quase 100 países, o filme foi exibido na TV Cultura, TV Brasil, Discovery Kids, Netflix e SBT. Célia Catunda, uma das diretoras, estará em Florianópolis para um debate sobre o filme e o cinema para crianças feito no país.

Não menos esperada é a nova versão de “Os saltimbancos trapalhões” (2017, 99 min), de João Daniel Tikhormiroff. A refilmagem traz Renato Aragão e Dedé Santana, os sobreviventes do célebre quarteto, numa aventura que se passa no circo. Não é o filme de J. B. Tanko que conquistou as crianças em 1981, com belas músicas de Chico Buarque, mas, três décadas e meia depois, tem potencial para agradar às novas gerações. Num circo decadente, que aceita até leilões de gado e comícios políticos, Didi e Karina, artistas da casa, decidem montar um novo número para trazer o público de volta.

Rafael Carpes, Matias Seelig, João Victor Güttler Costa, Sophia Hartmann Carneiro da Cunha e Maria Luiza Haas Funes integram o júri infantil da mostra - Daniel Queiroz/ND

Rafael Carpes (à esq.), Matias Seelig, João Victor Güttler Costa,

Sophia Hartmann Carneiro da Cunha e Maria Luiza Haas Funes integram

o júri infantil da mostra - Daniel Queiroz/ND




Viagem na tela, ideias na mesa

A programação da 16ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis inclui os longas “Fiddlesticks” (Alemanha, ficção, 2014, 82 min), de Veit Helmer, que fez questão de dublar o filme especialmente para a Mostra; “Minha vida de abobrinha” (Suíça e França, animação, 2017, 66 min), de Claude Barros; e “A sociedade secreta de Souptown” (Estônia, ficção, 2015, 105min), de Margus Paju. Há ainda a Sessão Jovem Cinema Nacional, com “O escaravelho do diabo”, baseado no conhecido livro de Lúcia Machado de Almeida, e o documentário “Jonas e o circo sem lona”.

Complementam a agenda a sessão Anima Mundi e a sessão Escola Jovem na Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). O fórum Cinema e Educação ocorreu antes, na quinta e sexta-feira, voltado para professores, e o Encontro Nacional de Cinema Infantil, neste sábado de manhã, no CIC, terá a participação de representantes da Ancine e da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura. Ali também haverá o lançamento do 62º número da revista Filme e Cultura, que ficou muito tempo sem ser publicada. O Cinema do CIC recebe, no sábado e domingo, uma oficina de roteiro audiovisual voltado à infância.

Luiza Lins reforça o caráter democrático, de inclusão  e de educação da Mostra - Marco Santiago/ND
Luiza Lins reforça o caráter democrático, de inclusão e de educação da Mostra - Marco Santiago/ND



Espaço democrático de alegria

Entre os muitos pontos positivos da Mostra está a possibilidade de juntar, no mesmo ambiente, alunos de escolas públicas e privadas. “A cidade e o país estão partidos, e nosso evento é diverso, democrático, onde todos têm os mesmos direitos”, diz Luiza Lins. Cegos e surdos terão sessões próprias, nas tardes de sábado, e todos os filmes contêm legendas para alunos surdos e ensurdecidos. Cerca de 400 crianças virão do Frei Damião, comunidade isolada e de baixo IDH localizada em Palhoça. Na mostra competitiva de curtas-metragens, que dará prêmio de R$ 5 mil para cada vencedor, haverá um júri oficial, um júri popular e outro formado apenas por crianças.

No ano em que se comemora o centenário da animação, 80% dos filmes da Mostra se enquadram nessa categoria. Para Luiza Lins, é empolgante ver que aos poucos Santa Catarina, graças este e a outros festivais, vem se transformando num polo de produção audiovisual para crianças. Por conta do evento que realiza, ela viaja para fora do país, acompanha mostras em todas as regiões brasileiras e participa de júris em diferentes capitais. Seu foco, no entanto, está na Ilha, onde promove a inclusão social por meio da Mostra. “Num mundo duro com as crianças, é prazeroso oferecer-lhes alguns momentos de alegria”, afirma.

Clássico literário “O escaravelho do diabo”  é um dos longas da abertura - Divulgação/ND
Clássico literário “O escaravelho do diabo” é um dos longas da abertura - Divulgação/ND



Sábado

14h - Pré-Estreia Nacional

Peixonauta – O filme

de Kiko Mistrorigo, Célia Catunda e Rodrigo Eba, animação, Brasil, 2017, 88 min

16h30 - Sessão de Curtas Nacionais

Sessão com Libras, audiodescrição ao vivo e legendas para surdos e ensurdecidos

Òrun Àiyé – a criação do mundo, de Jamile Coelho e Cintia Maria, animação, BA, 2015, 12 min

Pequenas cenas mudas,  de Thiago Montelli, animação, SP, 2017, 11 min

Dourado,  de Bernardo Teixeira, ficção, MG, 2016, 8 min

Meninos verdes,  de Rosa Berardo, animação, GO, 2016, 10 min

Caminho dos gigantes,  de Alois Di Leo, animação, SP, 2016, 11 min

Ilha das crianças, de Zeca Ferreira, ficção, RJ, 2016, 12 min

17h45 - Palquinho da Mostra: Grupo É da nossa cor, acompanhado por Cores de Aidê

18h30 - Sessão Jovem Longa Nacional

Jonas e o circo sem lona de Paula Gomes, documentário Brasil, 2017, 80 min

Domingo

11h - Sessão de Curtas Nacionais

O Awa Poanpé, de Julia Vellutini, animação, SP, 2017, 5 min

A luta, de Bruno Bennec, ficção, RJ, 2016, 16 min

Como fazer um pião, de Rita de Cácia Oenning da Silva, documentário, SC, 2017, 3 min

O último índio, de Maria Teresa Murer, animação, RS, 2017, 12 min

A primeira flauta, de Simon Brethé e Ricardo Poeira, animação, MG, 2017, 3 min

Médico de monstro, de Gustavo Teixeira, ficção, SP, 2017, 11 min

14h - Sessão de Longa Internacional

Fiddlesticks, de Veit Helmer, ficção, Alemanha, 2014, 82 min

16h - Sessão Anima Mundi

A Ilha das Tartarugas Petzi: Schildkröteninsel, de Michael Bohnenstingl, Johannes Weiland

e Paul Cichon, Alemanha, 2016, 11 min 41 seg

Primeira Nevasca První Sníh, de Lenka Ivaneikova, Republica Tcheca, 2015, 13 min 34 seg

Miúdos, de Jonathas Alpoim e Rafael Neves, Brasil, 2015, 1 min 6 seg

Homem Graveto Stick Man, de Jeroen Jaspaert e Daniel Snaddon, Reino Unido, 2015, 27 min 8 seg

17h15  -  Palquinho da Mostra: Show No Dorso do Rinoceronte

18h - Sessão Jovem –  Longa Nacional

O escaravelho do Diabo de Carlo Milani, ficção, Brasil, 2016, 90 min

 

Veja programação completa em: www.mostradecinemainfantil.com.br

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade