Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Moradores do bairro Itinga, em Joinville, provam em mostra que sabem fazer teatro de qualidade

Apresentações gratuitas vão até esta sexta (6) e fazem parte do projeto denominado Novembro Cultural

Rosana Ritta
Joinville

Em sua 5ª edição, a Mostra Teatral do Itinga oferece uma semana recheada de espetáculos teatrais gratuitos, feitos por atores profissionais e também pela comunidade local. Trata-se de mais uma oportunidade para conferir as atrações que iniciaram com o “Novembro Cultural”, mostra popular de arte, artesanato e cultura, que tem por objetivo valorizar e impulsionar as atividades da região, e se estenderam por dezembro.

Neste ano, a edição homenageia Antônio Leopolski (1958-2010), o popular Antonio Bonequeiro criador e divulgador do teatro lambe-lambe no Estado. Ao todo, serão sete apresentações, com os grupos Canto do Povo, Grupo de Teatro Libração, Grupo de Teatro Novo Tempo e o encerramento das turmas de teatro infantil e juvenil do Projeto Alternativas.

As peças serão encenadas até sexta (6), na sede da Amorabi (Associação de Moradores do Bairro Itinga). A organização informa que as apresentações pré-programadas para o dia 29 de novembro foram transferidas para o dia 6. Em paralelo, pode ser visitada uma exposição com bonecos feitos pelo artista.

O Novembro Cultural é iniciativa da Amorabi, com patrocínio do Simdec, Fundação Cultural e Prefeitura de Joinville.

 

Borges de Garuva/Divulgação/ND
Alguns dos bonecos criados por Antonio Leopolski, falecido prematuramente em 2010, também estão expostos na mostra

 

Quem foi Antônio Bonequeiro

Antonio Leopolski (1958-2010), o popular Antonio Bonequeiro, criador e divulgador do teatro lambe-lambe no Estado, também foi manipulador de bonecos, artista multicultural e sustentável Usava o material reciclado para inventar histórias e personagens. Assim, criou os espetáculos “A Terra de Raimundo”, apresentada no projeto Alternativas da Amorabi em 2003 e “Salve o Ribeirão”, ambas com apelos ecológicos Participou de diversos festivais de teatro, como o Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Canela (RS), Festival de Formas Animadas de Jaraguá do Sul, 2º Forunzinho Social Mundial que ocorreu em paralelo ao Fórum Social Mundial, em Porto Alegre Nasceu em Foz do Iguaçu (PR), cresceu em Pernambuco, viveu na Bahia, aprimorou conhecimentos com Efigênia Rolin (a rainha do papel de bala) em Curitiba, morou em Blumenau e Barra Velha e desde o ano 2001 adotou Joinville, onde criou raízes e amigos. Morreu em 2010, aos 52 anos 

 

Serviço:

O quê:  Mostra de Teatro do Itinga

Quando: até 6/12, às 20h

Onde: Amorabi (Associação de Moradores do Bairro Itinga) (r. dos Esportistas, 510, Itinga)

Quanto: gratuito

Informações: cultura@amorabi.org.br – 47/3465-2075 (14 às 18h) e 9603-5584

 Programação

 

QUINTA (5)

“O menino narigudo”, do Curso de Teatro Juvenil/Adulto (Projeto Alternativas 14 anos)


 SEXTA (6)

Esquetes

“Deu a louca nos contos de fadas”, do Curso de Teatro Infantil


Uma criança que gosta de ouvir histórias para dormir, mas que está cansada de ouvir sempre as mesmas coisas. Então, sua mãe inventa a história “Deu a Louca nos Contos de Fadas”... “Como assim mamãe?” E de maneira muito louca e divertida o filhinho vai sendo arrebatado para o universo de fadas encrenqueiras, príncipes gordos, princesas encalhadas e o lobo bom.

Ficha Técnica:

Texto: criação coletiva dos adolescentes e professores Cerj Escolinha. Elenco: Débora Steffen, Laura Regis, Janielly da Silva, Jenifer Raiana Bruch, Marina Alves Carneiro, Isabela Comandore, Vitória Cristina Fortunato, Bianca Borges, Bárbara Borges, Camila Canto de Oliveira. Direção: Norberto Deschamps



“O Mistério da Lua”, do Curso de Teatro Infantil

Um grupo de crianças se surpreende ao ver no céu a lua minguante. “O que ouve com a Lua?” Começam a discutir para tentar descobrir o que aconteceu com a lua, e cada uma delas tem uma resposta surpreendentemente inocente e muito poética. Como é possível tanta surpresa e admiração diante deste fenômeno natural  tão comum em nossa vida cotidiana? Será que as crianças nos darão a resposta?

Ficha técnica:

Texto: Sonia Junqueira / Dramaturgia: Hélio Muniz.


“Sou Eu”, do Curso de Teatro Juvenil

A partir da temática sobre o que me aflige e o que me alegra, os jovens foram instigados a jogar teatro e criar cenas, refletindo sobre a situação e opinião do jovem na sociedade.

Ficha Técnica:

Texto colaborativo / Elenco: Bruna Martins Eduardo, Rodrigo Lourenço, Guilherme Costa, Ana Júlia Vasconcelos, Matheus da Maia Vicente, Ana Carolina dos Santos, Lorrana Vieira, Bianca Schmitz, Natália Silveira, Záire dos Santos, Matheus Correia, Talita Martinho, João França, Marcos Vicente / Direção: Cristovão Petry

Espetáculo: “Silêncio na hora do chá”, do Grupo de Teatro Libração

“Silêncio na hora do chá” é uma forma divertida de mostrar como o silêncio faz parte do cotidiano do surdo. A partir de uma simples conversa, situações inesperadas surgem. A cena é pensada para surdos e ouvintes, e mostra as dificuldades dos seres humanos.


Ficha técnica:

Diretora: Manoella Carolina Rego / Elenco: Amanda Caroline de Godoy, André Felipe da Costa, Dayane Cristina Gomes, Felipe Ribeiro Andrade, Jenifer Cristina Ferreira, Juliana Cipriano Martins Moreira, Tainá Ferreira

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade