Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Pesquisadora lança livro sobre vestígios deixados pela escravidão em São Francisco do Sul

Obra é fruto da pesquisa de mestrado da historiadora e arqueóloga Fernanda Borba

Suelen Soares da Silva
Joinville

O livro “Arqueologia da escravidão numa vila litorânea: vestígios negros em São Francisco do Sul”, da historiadora e arqueóloga Fernanda Borba, será lançado hoje, às 15h30, durante o 2o Encontro Internacional Interdisciplinar em Patrimônio Cultural e 3o Workshop Catarinense de Indicação Geográfica, na Univille (Universidade da Região de Joinville). 

 

Luciano Moraes/ND
Fernanda usou a sua pesquisa para o mestrado como base para o livro

A obra propõe um novo olhar sobre a escravidão em São Francisco do Sul, focando nos espaços de trabalho, nas moradias e nos objetos relacionados aos escravos a partir de vestígios materiais presentes em antigas fazendas dos séculos passados.  Além disso, trata de um estudo arqueológico na antiga Vila de São Francisco do Sul, que durou quase três anos e, segundo a autora, já pode ser vista como um marco na arqueologia do litoral Norte de Santa Catarina.

Esta região do Estado é conhecida pela abundância de sambaquis e também das pesquisas que ocorrem nestes sítios. Porém, a historiadora destaca que existem poucos registros sobre o assunto. “Na arqueologia de Santa Catarina, não existia nada desse gênero”, afirma. O estudo de Fernanda usou uma linha de investigação e parte do entendimento que os artefatos são reflexos das práticas culturais e relações sociais humanas, oferecendo uma possibilidade de abordagem mais ampla do passado à medida que se descobrem coisas através dos vestígios deixados pelos grupos.

De acordo com a historiadora, a escravidão não havia, até então, sido abordada pela arqueologia em Santa Catarina. Na busca pela compreensão das escravarias e das práticas de escravos, a pesquisa aliou os fragmentos de artefatos de cerâmica, principalmente os cachimbos obtidos em escavações e acervos de instituições catarinenses.

Arquivo Histórico/Divulgação/ND
Pesquisa. Fotos antigas foram usadas para identificar as características dos negros em São Francisco do Sul

 

As fotografias, mapas e documentos escritos, como inventários, registros eclesiásticos e censos provinciais, e informações de antigos moradores, foram utilizados para esboçar e identificar as características dos negros como mão de obra. “Nestas fotos e escavações podemos identificar as relações familiares dos negros, seus espaços, suas residências, seu entorno e seus objetos de uso cotidiano”, descreve a historiadora.

O livro “Arqueologia da escravidão numa vila litorânea: vestígios negros em São Francisco do Sul” estará à venda nos locais de lançamento e posteriormente nas livrarias Midas e Curitiba ou pelo e-mail fernanda.soet@gmail.com, pelo valor de R$ 30.

Serviço

O que: Lançamento do livro “Arqueologia da escravidão numa vila litorânea: vestígios negros em São Francisco do Sul” de Fernanda Borba
Quando: quinta, às 15h30
Onde: Univille

O que: Lançamento do livro “Arqueologia da escravidão numa vila litorânea: vestígios negros em São Francisco do Sul” de Fernanda Borba
Quando: 14 de agosto, às 19h30
Onde: 2ª Feira Literária Cantos e Contos (São Francisco do Sul)

 

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade