Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Estudante de Joinville foi a única catarinense na final de concurso nacional

Mariana Silva de Lima destacou-se na promoção “Homofobia Fora de Moda”

Redação ND
Joinville
Fabrício Porto/ND
Mariana da Silva de Lima com a estampa que desenvolveu

Há alguns dias, a jovem Mariana Silva de Lima ainda tinha dúvidas sobre seu futuro profissional. Mas agora, a estudante de 16 anos já aproveita o sucesso e sonha alto com o mundo da moda: ela foi a única catarinense finalista do concurso “Homofobia Fora de Moda”, que envolveu 122 estilistas, estudantes de moda e designers do Brasil.

Mariana criou uma das 30 melhores propostas de estampas ou logotipos para uma campanha contra a homofobia. A ideia da estudante do curso técnico de Produção de Moda do SENAI Joinville foi criar o “jogo da sexualidade”: a estampa mostra um tabuleiro, no qual as casas apresentam os caminhos que os homossexuais trilham até chegar ao “pote de ouro”, a aceitação da sociedade.

O resultado surpreendeu a participante. “A professora passou com se fosse um trabalho na aula, valendo nota, mas quem quisesse poderia inscrever no concurso. Resolvi aproveitar a chance”, explica. Com o incentivo da professora Kátia Krauspenhar, Mariana bolou a ideia como se fosse uma metáfora para as dificuldades no cotidiano de quem assume a homossexualidade, desde o fato de contar para amigos e familiares até a busca por direitos civis.

Mariana diz que não esperava o resultado. “Sabia que muita gente de outras cidades participariam, pessoas que estudam há mais tempo”, diz. “Por isso foi bom, um incentivo para eu continuar me preparando para a carreira”, complementa a estudante, que pretende estudar jornalismo e se especializar na área de moda.

O trabalho de Mariana foi exposto no Museu Afro Brasil, em São Paulo, durante a 29ª Casa de Criadores, evento que projeta os novos talentos da moda. Para ela, só ter o nome vinculado a este evento já é uma vitória. “Os estilistas de lá são muitos conhecidos. É bom ter algo assim para já colocar no currículo”, afirma.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade