Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Abertura do Festival de Dança de Joinville acontece nesta quarta

Ballet Nacional do Uruguai sobe ao palco do Centreventos Cau Hansen, às 20h

Alexandre Perger
Joinville

Chegou o dia em que os olhos do mundo da dança se voltam para Joinville. A abertura será internacional. O Ballet Nacional do Uruguai (Sodre) sobe ao palco do Centreventos Cau Hansen na noite de hoje, às 20h, para apresentar quatro peças e dar início ao maior festival do mundo, que segue com extensa programação até o dia 27 de julho, com apresentações por vários cantos da cidade.

Mesmo sendo uma companhia de balé clássico conhecida, o grupo uruguaio, que veio com 36 bailarinos, apresentará hoje danças que passam também pelo contemporâneo, levando ao público uma mistura que pretende agradar diferentes gostos. “Vamos mostrar a outra faceta da companhia”, adianta o diretor do Ballet do Uruguai, Julio Bocca.

 

Divulgação/ND
Divulgação/ND
Companhia uruguaia apresenta quatro obras na noite de abertura do festival

 

No repertório da noite, estão quatro obras de grandes coreógrafos: Doble (Vicente Nebrada), El Corsario – Pas de Deux (Marius Petipa), Without Words (Nacho Duato) e Sinfonietta (Jirí Kylián), todas fazem parte do acervo do grupo. A intenção, segundo Julio, é introduzir essas peças não somente aos bailarinos, mas também ao público.

Ao trazer esses coreógrafos consagrados, a proposta de Julio também é recuperar esse repertório e valorizar a produção, como, por exemplo, do venezuelano Vicente Nebrada. “A ideia é trabalhar uma peça importante e recuperar a obra desse grande coreógrafo”, relata e avisa que o público poderá, com isso, ver a qualidade dos bailarinos, formada, na maioria, por jovens.

Na hora de fazer a seleção, Julio conta que se tentou se colocar no lugar do público e escolher aquilo que gostaria de assistir se estivesse na plateia. “Não há nada filosófico, sou direto, nessa época tem que saber trabalhar o marketing, para que o público goste e volte”, explica o diretor.

O presidente do Instituto Festival de Dança de Joinville, Ely Diniz, destaca o caráter didático do festival. Nesse sentido, segundo ele, a companhia uruguaia poderá dar uma grande contribuição. “Nossa preocupação é passar a informação correta aos participantes”, salienta.

O Ballet

O Ballet Nacional do Uruguai completou 77 anos ano passado e desde 2010 conta com a direção do maior bailarino argentino de todos os tempos, Julio Bocca, que iniciou um processo de reformulação na companhia, que hoje conta com 65 bailarinos, oito brasileiros e três deles saídos do Bolshoi.

Há três anos, quando o presidente do Uruguai, José Mujica o convidou para assumir a companhia, Julio vem deixando a própria marca. “Uma das preocupações é levar o grupo para o mundo, tentando colocar no mesmo nível de outras tradicionais companhias da América Latina e Europa”, explica.

Mas, além de levar o balé uruguaio para fora das fronteiras, a intenção também é inserir a dança em lugares do país onde ela geralmente não chegaria. “Temos que dar a todos a possibilidade e, em troca, recebemos o agradecimento, pois normalmente não teriam acesso de outra forma”, conta Julio.

Serviço:

O quê: abertura do Festival de Dança de Joinville, com Ballet Nacional do Uruguai

Quando: hoje, às 20h

Onde: Centreventos Cau Hansen

Quanto: de R$ 24 a R$ 120

Onde comprar: bilheteria do Centreventos ou no site www.ticketcenter.com.br

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade