Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

A vida e obra de Salvador Dalí de uma forma nunca vista no país

Instituto Tomie Ohtake, de São Paulo, recebe uma das mais completas exposições sobre do artista catalão identificado como o mestre o surrealismo

Luiz Veríssimo
Joinville
© Salvador Dalí, Fundació Gala-Salvador Dalí, AUTVIS, Brasil/Divulgação/ND
Obra "O espectro do sex-appeal", de 1934, do acervo da Fundació Gala-Salvador Dalí, Figueres

 

Mais de um milhão de visitantes estão sendo esperados na exposição de Salvador Dalí em São Paulo, número superior aos recordes anteriores de Paris, Madri e Rio de Janeiro. A retrospectiva do mestre do surrealismo foi aberta na capital paulista no dia 19 deste mês, no Instituto Tomie Ohtake, e termina em janeiro de 2015. Estão lá 24 pinturas, 135 gravuras, 16 fotos e 39 documentos disponibilizadas pelos dois maiores acervos do artista, o Museu da Rainha Sofia (Madrid) e Fundação Gala-Salvador Dalí, de Figueres (Cataluña), sua cidade natal.

É a primeira vez que o Brasil recebe tão completa coleção de obras de Salvador Dalí (1904-1989). Foram de seis anos de conversas para que a exposição finalmente chegasse ao Rio de Janeiro e a São Paulo, graças à iniciativa do Instituto Tomie Ohtake e do co-patrocínio da Arteris, grupo espanhol que atua no Brasil como concessionário de rodovias.

A exposição de São Paulo trouxe novidades com relação a do Rio de Janeiro, onde ficou no Centro Cultural Banco do Brasil por quatro meses. Alguns trabalhos da coleção do Museu Salvador Dalí, nos Estados Unidos, foram substituídas por cinco novas obras da Fundação Gala-Dalí e duas do Museu Reina Sofia (Madrid). Uma destas obras exclusivas é “O espectro do sex-appeal” (1934), feita de óleo sobre madeira do tamanho de uma folha de papel.

Estão incluídos na exposição documentos e livros da biblioteca particular de Dalí e ilustrações feitas para clássicos da literatura mundial, como Dom Quixote de La Mancha, de Miguel Cervantes, e Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol.

A curadora da exposição é Montse Aguer, diretora do Centro de Estudos Dalinianos da Fundação Gala-Salvador Dalí. “Gala” é referência a Gala Éluard, imigrante russa que Dali conheceu em Paris e tornou-se inseparável companheira.

A exposição brasileira traz obras do período mais importante do artista, o surrealismo, além registros sobre seu “estágio” nos Estados Unidos, onde participou diretamente em filmes de Walt Disney, Alfred Hitchock e Luis Buñuel. Aliás, Dalí foi o primeiro espanhol a merecer uma capa da revista “Time”.

 

Associated Press, Paris/Divulgação/ND
Dalí ilustra "El Quijote", 1956, foto da AP que faz parte do acervo da Fundació Gala-Salvador Dalí, Figueres

 

Celebridades da história moderna

Salvador Dalí teve o privilégio de conviver e com grandes personalidades da história moderna, não só artistas como Pablo Picasso e Joan Miró, mas Sigmund Freud, Charles Chaplin, Irmão Marx, Walt Disney e Albert Einsten.

Dalí ficou conhecido e reconhecido mundialmente por seu exótico bigode. A maioria das fotos anteriores à sua morte registra seu bigode com os extremos fixos e levantados nas extremidades, inspirado em Diego Velàzquez, pintor espanhol (1599-1660), o preferido de Luiz 4º da Espanha.

 

Serviço:

O quê: exposição Salvador Dalí

Quando: até 11 de janeiro de 2015, aberto de terça a domingo, das 11 às 20h

Onde: Instituto Tomie Ohtake (av. Faria Lima 201, entrada pela rua Caropés, bairro Pinheiros, São Paulo)

Quanto: entrada gratuita

 

 

* O jornalista e colunista Luiz Veríssimo viajou a São Paulo a convite da Autopista Litoral Sul, pertencente ao Grupo Arteris, co-patrocinadora da exposição.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade