Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Três escolas estaduais de Joinville terão ensino médio integral no próximo ano

Unidades de educação nos bairros, Boa Vista, Iririú e Jardim Sofia vão adotar novo modelo de ensino

Shirlei Paterno
Joinville
23/11/2016 às 08H22

A partir do ano que vem, Joinville contará com três escolas da rede estadual que passam a oferecer ensino integral para alunos do primeiro ano do ensino médio. O anúncio foi feito nesta terça-feira pelo secretário estadual de Educação, Eduardo Deschamps. As escolas de educação básica Presidente Médici, no Boa Vista, Senador Rodrigo Lobo, no Jardim Sofia e a Engenheiro Annes Gualberto, no Iririú, estão entre as 14 escolas que farão parte do projeto em Santa Catarina. 

O ensino integral é resultado de um edital do Ministério da Educação na qual a SED (Secretaria de Estado da Educação) participou, dando às escolas a opção de optarem pelo novo modelo de ensino. Em Santa Catarina, até 30 escolas poderiam ser incluídas, porém apenas 14 apresentaram interesse. Cada unidade irá receber R$ 2 mil por aluno matriculado, sendo esse recurso repassado pela União à SED. 

Unidade de ensino no bairro Boa Vista foi uma das que optou pelo tempo integral em 2017 - Carlos Junior/ND
Unidade de ensino no bairro Boa Vista foi uma das que optou pelo tempo integral em 2017 - Carlos Junior/ND


As diretoras das escolas Presidente Médici e Annes Gualberto, Valquira Hostim Bráz e Célia Stoll, respectivamente, concordam que o ensino em tempo integral deve preparar melhor o aluno para a universidade e para o mercado de trabalho. A mesma opinião tem a secretária executiva da ADR (Agência do Desenvolvimento Regional) de Joinville, Simone Schramm.

Diretora há 12 anos da unidade de educação no bairro Boa Vista, Valquiria conta que o atual modelo de ensino médio não atrai mais a atenção dos jovens. “Notamos que os estudantes perderam o interesse no atual modelo, o tempo integral vai chamar atenção e tem tudo para dar certo por se tratar de uma metodologia diferente, principalmente por conta dos projetos. Eles terão estudos orientados, aprendendo a estudar melhor, além disso, eles usarão mais os espaços existentes nas escolas, como auditórios, laboratórios e a quadra coberta.” 

Animada com as mudanças, Célia, que há nove anos está à frente da direção da escola Annes Gualberto, acredita que o ensino médio em tempo integral apresenta uma nova proposta para os estudantes. “Aceitamos o desafio de aderir este novo modelo e estamos bem empenhados, motivados e confiantes. Com certeza o aluno sairá mais preparado para a universidade e para a vida”, frisa. 

Os estudantes que optarem pelo tempo integral podem realizar a matrícula numa das três escolas entre 24 de novembro e 2 de dezembro, mesmo período das demais unidades da rede estadual. Nas unidades que terão a oferta de turno integral, a expectativa é que mais de uma turma seja aberta. O objetivo é ter ao menos 120 alunos em cada escola, segundo a Gered (Gerência Regional de Educação). As aulas acontecerão quatro dias por semana, das 7h30 às 17h30 e no quinto dia até as 12h15.

Projeto de vida está na nova grade curricular 

Além da grade curricular obrigatória, o ensino integral contará com disciplinas de projeto de vida, estudo orientado e projeto de intervenção e pesquisa. Os professores para essas escolas terão dedicação exclusiva sendo dada a preferência para os efetivos, mas tendo necessidade haverá contratação de temporários. “Nós estamos bastante motivados com esse programa que possibilita uma nova visão do ensino médio”, comenta a gerente da Gered, Olizilma Bussmann Witt.

Para a secretária Simone Schramm, o novo modelo será uma forma de dar mais atenção para os alunos que estão saindo do ensino fundamental, trabalhando no desenvolvimento do pensamento crítico e na formação para o mercado de trabalho. “Nós percebemos uma necessidade de dar mais atenção ao jovem que está saindo do fundamental para o ensino médio e dar a ele condições de se dedicar mais a vida educacional. Acreditamos que será possível preparar o aluno para um desenvolvimento mais crítico e com boa formação para o mercado de trabalho.” 

Reordenamento de turmas no ensino médio 

Ao mesmo tempo que a Escola de Educação Básica Senador Rodrigo Lobo, no bairro Jardim Sofia, adere ao ensino médio em tempo integral, a unidade também deixa de ofertar o ensino médio no período noturno. A escola é uma das três unidades que terão os estudantes transferidos para outra unidade de ensino. No total 57 alunos serão remanejados para a Escola de Ensino Médio Deputado Nagib Zattar, no bairro Jardim Paraíso, mais de 4 km distante. 

Além da Senador Rodrigo Lobo, também serão transferidos 47 estudantes da Escola de Educação Básica Guilheme Zuege para a escola Olavo Bilac, que ficam pouco menos de 9 km uma da outra. Na EEB Felipe Schmidt, em São Francisco do Sul, os 91 alunos irão para a EEB Santa Catarina, escola situado a 800 metros. 

Olizilma explica que a mudança se deu devido ao baixo número de alunos matriculados nas instituições e que não estão previstas outras transferências. Ela relata ainda, que caso o aluno fiquei muito longe do seu domicilio ele poderá requerer o passe para o deslocamento. “Não existe a intenção de reorganizar mais nenhuma unidade de ensino. A tendência é que o número de matrículas permaneça ou até aumente.” 

Sobre a situação dos estudantes do ensino médio, da Escola Municipal Professora Eladir Skibinski, no bairro Aventureiro, que já haviam sido transferidos para a Escola Municipal Prefeito Wittich Freitag, a gerente esclarece que as aulas para o 2º e 3º anos continuarão sendo ministradas na unidade de ensino Wittich Freitag.

A mudança ocorrerá para os estudantes vindos do ensino fundamental para o 1º ano, estes poderão realizar a matrículas numa das três outros colégios estaduais no bairro: Professor João Rocha, Professora Maria Amin Ghanem e Professora Jandira Dávila.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade