Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Santa Catarina inaugura centro de gerenciamento de risco e desastres da Defesa Civil

O Cigerd é autossuficiente e foi preparado para manter a comunicação com as 20 regionais, mesmo em situações muito adversas. Fenômenos climáticos serão antecipados com mais precisão

Michael Gonçalves
Florianópolis
17/05/2018 às 20H43

Conhecido pelo fenômenos climáticos que provocam ciclones, tornados, enchentes, ressacas, deslizamentos de terra e desabamentos, o Estado de Santa Catarina ganha nesta sexta-feira, às 14h, na avenida Ivo Silveira, bairro Capoeiras, o Cigerd (Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres). Referência em gestão de crise e desastres naturais, o Cigerd é autossuficiente e foi preparado para manter a comunicação com as 20 regionais da Defesa Civil, mesmo em situações muito adversas. Segundo o secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, a intenção é integrar os setores governamentais para o gerenciamento de crise e dar resposta mais rápida em situações de risco.

A estrutura contará com o centro de monitoramento e alerta, meteorologia, sistema de hidrometeorologia, geologia, mapeamento de áreas de risco, planos de contingência, planos de ações emergenciais, gestão de crise e respostas a desastres. “O centro abrigará 79 servidores da Defesa Civil e mais 32 de outros órgãos, que farão o controle de forma coordenada. Com três radares meteorológicos exclusivos e com mais uma antena para capturar imagens de satélite, teremos condições de antecipar o monitoramento do Estado. E quando um cenário crítico aparece daremos uma resposta mais rápida”, afirmou Moratelli.

Com investimento de R$ 44 milhões, do Pacto por Santa Catarina e do Fundo Estadual de Proteção e Defesa Civil, o Cigerd vai trabalhar em conjunto com as 20 regionais da Defesa Civil espalhadas pelo Estado. Os centros regionais foram distribuídos com base na localização geográfica, população e recorrência de fenômenos da natureza. Cada um tem 160 m² em uma estrutura feita de aço galvanizado. “O centro é uma estrutura moderna, que trará muito mais proteção a todos os catarinenses, repassando informações mais precisas à população e agindo mais rapidamente para ajudar possíveis vítimas”, disse o governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB).

Defesa Civil - Daniel Queiroz/ND
A intenção é integrar os setores governamentais para o gerenciamento de crise e dar resposta mais rápida em situações de risco -  Daniel Queiroz/ND



Simulado de operações reúne 1.400 militares e civis

Terminou nesta quinta-feira (17) o simulado de operações em desastres nos municípios de Blumenau, Pomerode, Gaspar e Itajaí. O treinamento reuniu 1.400 pessoas, entre militares e civis, do Exército, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, da Secretaria de Estado da Saúde, da Defesa Civil e das cidades envolvidas. A operação simulada começou no dia 11 de maio, quando foram emitidos 12 alertas climáticos.

O comandante do 14º Batalhão de Infantaria, general de brigada Ricardo Miranda Aversa, destacou as ações integradas. “Reunimos 700 militares do Exército de várias cidades do Estado e até de Curitiba para cumprirmos a nossa missão de auxiliar a Defesa Civil. Utilizamos os nossos meios de engenharia para a transposição de rios e trabalhamos com dois terminais por satélite para situações de falta de energia e comunicação, por exemplo. Agora, vamos avaliar o que foi feito de positivo e as situações que podem ser aperfeiçoadas”, destacou.

O simulado também reuniu 294 policiais militares com 88 viaturas, que ficaram responsáveis pela garantia da ordem, 150 bombeiros com 34 veículos e duas aeronaves e 40 servidores do Samu, que montaram três hospitais de campanha para triagem. O próximo simulado está marcado para 23 de novembro, em Ilhota, no Vale do Itajaí.

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade