Publicidade
Terça-Feira, 23 de Outubro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Ronaldinho Gaúcho cria própria criptomoeda e já inicia venda privada

As vendas começaram no dia 15 de julho de maneira privada e será aberta uma fase de pré-venda para o público em geral no dia 16 de agosto

Folha de São Paulo
Brasil
18/07/2018 às 17H37

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Atração surpreendente da cerimônia de encerramento da Copa do Mundo no domingo (15), quando apareceu tocando percussão em pleno gramado do estádio Lujniki, em Moscou, Ronaldinho Gaúcho agora tratou de investir em um novo ramo. Nesta semana, o ex-jogador iniciou a pré-venda da sua própria criptomoeda, a Ronaldinho Soccer Coin, desenvolvida em parceria com a startup Word Soccer Coin.

As vendas começaram em 15 de julho de maneira privada e será aberta uma fase de pré-venda para o público em geral no dia 16 de agosto. O plano tem como objetivo desenvolver o futebol no mercado digital e real, com a Academia Ronaldinho Gaúcho em países do sudeste asiático e competições de e-sports.

No projeto une-se a construção de estádios em países como Vietnã, Tailândia e Filipinas com a organização de eventos de e-sports; no caso, competições amadoras e profissionais. A ideia é apresentar esta união do real e do virtual em julho do ano que vem. Estarão disponíveis para a venda 140 milhões de RSC (Ronaldinho Soccer Coins).

"A partir de agora, por gratidão, quero entregar sonhos, esperança e sorrisos para as pessoas ao redor do mundo através do futebol e da música. Eu quero trazer um sorriso para o maior número de pessoas possível através deste projeto. Desejo que o maior número possível de pessoas tenha sonhos e esperanças e se torne feliz", declarou o jogador, em mensagem publicada no site oficial do projeto.

Dentro de todo o desenvolvimento da RSC, Ronaldinho e os responsáveis querem apostar na evolução de atletas de futebol, em uma academia com o nome do antigo meia-atacante do Barcelona, e também nos jogos virtuais.

Além do sudeste asiático, com foco nos vietnamitas, tailandeses e filipinos, a parceria trabalha pela expansão para América do Sul, América do Norte e África.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade