Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Estudantes de Joinville são orientados sobre profissões em palestra da plataforma Its

Objetivo da capacitação era repassar informações para ajudar estudantes a escolher qual caminho a seguir

Rosana Rosar
Joinville

Cada ano de estudo representa um aumento médio de 15% no salário do brasileiro, segundo pesquisa da FGV (Fundação Getúlio Vargas). Anualmente o Brasil forma 44 mil engenheiros e precisaria de mais 16 mil para suprir a demanda. Existem 30 tipos diferentes de engenharias no País e, de cada 100 universitários que ingressam no mundo acadêmico, somente quatro escolhem alguma delas para seguir carreira. Esses e outros dados que podem ajudar na hora da escolha da carreira profissional foram detalhados na palestra Profissões do Futuro, realizada pela plataforma estudantil Its, com promoção do Notícias do Dia e patrocínio da Petrobras, na segunda (16), no Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Santa Catarina) Norte, em Joinville.

Fabrício Porto/ND
Palestra foi apresentada para os alunos do Senai Norte

 

Consultor de marketing educacional e colunista da revista Its, Anderson Gross, palestrou para dois grupos de alunos dos terceiros anos do ensino médio do Senai. Com bom humor fez uma retrospectiva dos anos de estudo dos adolescentes até o momento e abriu um leque de possibilidades para o futuro. Os cursos técnicos, com duração de 1,5 anos, e os tecnólogos, com duração de dois a três anos, foram as primeiras possibilidades listadas. Os cursos de graduação em áreas como engenharias, medicina, farmácia e design também foram indicados. Especializações, mestrado, doutorado e pós-doutorado foram apontados como caminhos para chegar longe. “Existe muita oportunidade lá fora, mas é para quem está preparado e disposto a estudar”, comentou.

Aprender língua inglesa, segundo Gross, é fundamental para buscar intercâmbios no exterior e bons empregos. “Existe um programa do Governo Federal chamado ‘Ciência sem fronteiras’ com vagas para intercâmbios em todo o mundo. Essas bolsas são devolvidas porque os estudantes não têm inglês”, contou. Mesmo apontando o campo das engenharias como um dos principais em expansão no País, Gross aconselhou os jovens a decidirem com cautela, e de acordo com seu perfil, a profissão que querem seguir. “Eles têm que cuidar para que a influência externa não tome um peso decisivo. E depois tem que analisar as novas descobertas, o que acontece na cidade, no Estado e no País”, indicou informando que hoje, de cada 100 jovens brasileiros com idade entre 25 e 35 anos, somente 12 têm nível superior completo.

 

Escolhas definidas

Aluna do terceiro ano do ensino médio do Senai Norte, Ana Seidel, 17 anos, já estava decidida a seguir a área da engenharia antes da palestra. “Vou tentar engenharia da mobilidade (na Ufsc) e engenharia civil (na Udesc) e ver em qual das duas eu passo. Me encontrei na engenharia, a dúvida é se vou arrumar emprego, como vai ser”, comentou.

A colega, Graziele Baraúna, 17, optou pelo design de moda, apontado como uma profissão de destaque e oportunidades em Santa Catarina. “Gostei da palestra porque ele passou boas informações do que está em alta e de coisas que eu não sabia sobre o Estado e o País”, avaliou.

Ganhadora do tablet sorteado no final da primeira palestra, Gabriela Moreno Junges, 17, vai prestar vestibular para psicologia na Ufsc e também gostou da abordagem do consultor de marketing educacional e colunista da revista Its, Anderson Gross. “Achei interessante, engraçado, foi bem criativo”, analisou. A palestra Profissões do Futuro já passou por Florianópolis, Balneário Camboriú, Criciúma e Joinville e, no próximo dia 24, chega a Chapecó.

 

Saiba mais – Profissões do futuro

Outras informações:
http://portalits.com.br/profissoesdofuturo/ e http://www.profissoesdefuturo.com.br/

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade