Publicidade
Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Presidente da Dudalina fala sobre sua trajetória e perspectivas do mercado no evento do Lide SC

O primeiro encontro do ano do grupo de empresários em Florianópolis homenageou as mulheres

Letícia Mathias
Florianópolis

Diferente do título que ganhou da revista Forbes em 2013, a sexta entre as dez mulheres mais poderosas do Brasil, Sonia Hess de Souza, presidente da Dudalina, maior camisaria da América Latina, diz que não se acha nem se sente poderosa, mas sim uma mulher que trabalha muito, tem grandes responsabilidades e por isso acaba ficando mais exposta. De maneira prática e acessível ela falou sobre sua trajetória para empresários e convidados durante primeiro encontro do ano do Lide (Grupo de Líderes Empresariais) Santa Catarina, realizado ontem em Florianópolis.

Fernando Mendes/ND
Otimista. Sônia acredita que dentro de dez anos, a empresa terá status internacional

 

Durante a palestra, assistida pelo irmão Armando Hess e autoridades como a prefeita de São José Adeliana Dal Pont, ela contou que quando participou do primeiro Lide, 95% do público eram homens e ela se perguntou o que estava fazendo ali. “Mas hoje me vejo aqui, presidente”, afirmou lembrando o apoio que teve do empresário João Doria durante sua carreira.

Sônia, que já é presidente do Lide Mulher Nacional, cujo grupo abrange 160 executivas de 90 empresas do país, agora assume a presidência do Lide Mulher em Santa Catarina também, e pretende continuar ajudando a fomentar o empreendedorismo. “Não é questão de gênero nem de competência, é escolha. A pergunta que eu faço é: será que as mulheres querem isso?”.  Ao fim do seu discurso deu um conselho: “Tenha paixão pelo que faz. Eu tenho muito amor à camisa e ao que eu faço e é isso que dá resultado”.

Dudalina quer chegar em 2016 com faturamento de R$1 bilhão

Sobre a Dudalina, a empresária preferiu não comentar detalhes da transição, afirmou que fica como presidente até 2016 e depois pretende tirar férias. Até lá, quer manter foco e seguir as metas estabelecidas, alcançar faturamento de 650 milhões este ano e chegar a R$1 bilhão em 2016. Segundo ela, a mudança está ocorrendo e forma tranquila e os novos acionistas tem respeitado e buscado manter a cultura da empresa.  

Em 2013 a Dudalina fechou o ano com 95 lojas, 59 próprias e 36 franquias. Ao todo são 2.498 colaboradores, 73% são mulheres. Em dez anos Sônia enxerga uma empresa mundial, com condições de ter a marca reconhecida no exterior. Porém, quando essa data chegar ela quer estar aposentada. Apesar disso, deve continuar ligada à empresa como conselheira.

Atualmente o Lide SC tem 62 associados e pretende conquistar mais 60 ao longo do ano. Em abril, o grupo em Santa Catarina completa um ano e João Doria será o convidado especial do evento de comemoração que será em abril. O presidente do Lide SC Wilfredo Gomes disse que além deste, há cerca de 20 eventos programados, entre eles estão um fórum de turismo para o segundo semestre e outras palestras com empresários como Luiza Helena, do Magazine Luiza.

Por ser um ano de eleições, além de eventos com empresários, o Lide SC pretende também trazer políticos para uma exposição de idéias. Aécio Neves e Eduardo Campos já são dois nomes praticamente confirmados. “Queremos saber os que eles pensam para o Brasil de 2015, discutir o PIB, impostos e outras necessidade do país como a infraestrutura”, afirmou Gomes.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade