Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Práticas que ajudam a alcançar a longevidade

Exercícios, diversão, autoestima e boa alimentação dão qualidade à vida

Adrieli Evarini
Joinville
Fabrício Porto/ND
Ondivaldi Macuco Baasch, 84 anos, (centro) têm junto com o marido uma rotina recheada de atividades

 

A perna levemente machucada devido a um tombo está longe de fazer com que o aposentado Carlos Henrique Baasch, 88 anos, se afaste dos exercícios físicos. Nadador apaixonado, enquanto ainda está impedido de dar braçadas, ele não se acomoda. O personal trainer está sempre ao seu lado e a fisioterapia também faz parte da rotina. A seu lado há 64 anos, Ondivaldi Macuco Baasch, 84, também não deixa o desânimo tomar conta de seus dias. Os dois têm uma rotina recheada de atividades. Além das horas dedicadas ao exercício físico, o entretenimento é parte fundamental do dia a dia. Enquanto ela reúne as amigas para jogos de cartas, ele divide a mesa de sinuca com um amigo. É assim que o casal aproveita o tempo. E é dessa forma que Carlos enfrenta o Mal de Parkinson, não dando tempo para o ócio. “Os exercícios e as atividades me ajudam a resistir”, explica.

A rotina do casal começa cedo. Antes das 8h, três dias por semana, eles saem de casa. O destino é a academia. São 50 minutos de natação para ele e 50 minutos de hidroginástica para ela. Além dos exercícios ao lado dos colegas, Carlos ainda recebe em casa o personal trainer e faz fisioterapia duas vezes por semana e, para ele, todos os exercícios resultam na qualidade do seu bem-estar.

Mas, nem só de exercícios físicos vive o casal Baasch. A diversão e entretenimento são parte da rotina do casal desde que se conheceram. Apaixonados por viagens e entusiastas de novas companhias, os dois, que são naturais de Florianópolis e Palhoça, não perdem um baile no Sindicato dos Comerciários e é Ondivaldi quem introduziu a dança na vida deles. “Adoro dançar e arrasto ele comigo”, comenta.

As malas, sempre preparadas para serem arrumadas, já estão sendo montadas para mais uma viagem. Segundo eles, aproveitar a vida com qualidade é o segredo de chegar a quase 90 anos com disposição de sobra. “Temos que aproveitar a vida e, de jeito nenhum, deixar que o desânimo nos impeça de fazer o que gostamos. Gostamos de viajar, viajamos. Gostamos de nadar, nadamos. Acho que assim aproveitamos nossa vida e nossa história juntos”, ressalta Carlos.

A disposição dos dois contagia os descendentes. Ondivaldi conta que a bisneta de apenas três anos saiu aos bisavós. Sem sossego a pequena já faz aula de natação e balé e afirma com convicção de irá dançar no Festival de Dança de Joinville.

Benefícios ultrapassam o limite físico

Para a geriatra Francisca Scoralick, o exercício físico deveria ser prática constante em todas as fases da vida, pois os benefícios ultrapassam o limite físico. “A prática regular de exercício físico faz bem para a saúde desde o nascimento até o fim da vida. E não só a saúde física, mas também para a saúde mental”, destaca.

Segundo Francisca qualquer atividade física que tenha gasto de energia e aumento do metabolismo é ideal para os idosos. Tanto exercícios ocupacionais quanto exercícios formais (pedalar, nadar, dançar, caminhar, correr) ajudam no bem-estar dos idosos, que tem maior incidência de doenças crônicas como hipertensão arterial, diabetes, osteartrose, dislipidemia, entre outras.

A geriatra recomenda que os exercícios sejam feitos no período da manhã e que se inicie com uma carga pequena e aumente gradativamente a intensidade. O ideal, segundo ela, é chegar em 30 minutos diariamente.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade