Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Período eleitoral esquenta o setor gráfico, que deve ter incremento de 20% e 30% em trabalhos

Redação ND
Joinville
Luciano Moraes/ND
Alexandre revela sua expectativa

“A campanha eleitoral veio em boa hora. Esquentou o setor gráfico que estava num período frio.” A afirmação eufórica é do dono da gráfica Manchester, Alexandre Vota, 29 anos, que aponta o período eleitoral como um dos mais importantes para as gráficas de Joinville. Ele destaca que o setor gráfico necessitava de uma injeção na economia, e a prestação de serviços na confecção de santinhos, adesivos e as conhecidas colinhas trouxe novo ânimo.

“Isto ajudará as gráficas a escaparem do chamado período baixo. A maioria dos serviços oferecidos é para os candidatos a vereador que pedem o material de campanha”, destaca. Alexandre calcula que já foram pedidos mais de um milhão de santinhos de candidatos de Joinville, Piçarras, Araquari e São Francisco do Sul. O custo do milheiro é entre R$ 10 e R$ 15.

Os adesivos têm custo semelhante e já foram encomendados mais de 50 mil. Mais de 100 mil colinhas também foram pedidas pelos candidatos. “É o serviço apenas de nossa gráfica. Existem outras que atendem da mesma forma e ajudam no crescimento do setor”, comentou.

O empresário acredita que o volume de encomendas cresceu entre 20% a 30% e que a tendência é de aumentar com o decorrer da campanha eleitoral. “Nossa família trabalha há 39 anos no setor e temos certa tradição nas eleições. É início da campanha e esperamos o aumento da procura”, destacou ele, lembrando os cuidados no cumprimento da legislação eleitoral

Orientações para seguir a lei

  • É permitida a distribuição de santinhos, folhetos, volantes e outros materiais impressos do dia 6 de julho de 2012 até as 22h do dia 6 de outubro de 2012 (véspera da eleição).
  • A edição do material é de responsabilidade dos partidos, coligações ou candidatos. A distribuição não depende de obtenção da licença municipal, nem de autorização da Justiça Eleitoral.

IMPORTANTE: todo material impresso deverá conter o número de inscrição do CNPJ ou o CPF do responsável pela confecção (quem vai receber o pagamento), bem como de quem a contratou (quem vai pagar), e a respectiva tiragem.

Não é possível a distribuição de propaganda eleitoral em bens públicos ou de livre acesso ao público, ainda que particulares (cinemas, clubes, Prefeitura, etc). No dia das eleições não é possível a realização de propaganda eleitoral, nem mesmo a distribuição de santinhos ou o pedido verbal de voto

 

 

 

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade