Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Pelo menos uma refeição está garantida para 400 adultos em cozinhas comunitárias de Joinville

Benefício é resultado de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Assistência Social e a Fundação Padre Luiz Facchini

Redação ND
Joinville
Fabrício Porto
Aposentada e ganhando um salário mínimo, Lourdes está feliz com a refeição

 

A partir deste mês, cerca de 400 adultos e idosos de regiões pobres de Joinville vão ter garantida pelo menos uma refeição por dia. Isto está sendo possível após a Secretaria de Assistência Social de Joinville e a Fundação Padre Luiz Facchini assinarem um convênio que vai permitir que estas pessoas sejam atendidas em três cozinhas comunitárias mantidas pela entidade. Por 19 meses, serão repassados R$ 16.800 por mês, totalizando R$ 319.200.
As 14 cozinhas comunitárias da fundação atendem a 1.600 crianças de zero a 15 anos, além de nove aldeias indígenas da região Norte de Santa Catarina. O padre Luiz Facchini estima que a mais de 2.000 pessoas que moram na periferia de Joinville não tenham garantida nenhuma refeição diária. “Existe a possibilidade de atendermos mais pessoas se houver mais comprometimento financeiro do poder público e das igrejas cristãs”, afirma.
As 400 pessoas estão sendo selecionadas pelos Cras (Centros de Referência de Assistência Social) dos bairros Paranaguamirim, Ulysses Guimarães e Jardim Paraíso. Elas serão atendidas pelas cozinhas comunitárias daquelas regiões. Uma das beneficiadas com o convênio é Lourdes de Araújo Rosa, 73 anos. Aposentada, diz que antes de poder almoçar na cozinha do Ulysses Guimarães diariamente, não tinha nada para comer em casa. “Ganho um salário mínimo e não sobra quase nada para comprar comida. Pode ir na minha casa ver a geladeira vazia”, revela.
Quem garante os alimentos fresquinhos para a salada é a voluntária Tereza Olivia de Campos, 67 anos. Além de cultivar as frutas e verduras, também planta os temperos usados nas refeições servidas na cozinha comunitária do Ulysses Guimarães. “Cuido com todo o carinho para garantir a boa alimentação das crianças”, afirma.
Mas a partir de agora, a produção vai ter de aumentar. Até agora, eram atendidas 65 crianças, adolescentes e gestantes por dia. Assim que todos os adultos e idosos cadastrados nos Cras começarem a almoçar no local, serão servidas 150 refeições. “Vamos receber mais mesas, pratos e talheres, além de panelas para conseguir servir todos”, conta a autônoma Cleri Campos, 44 anos, coordenadora da cozinha comunitária.

Segurança alimentar em todas as faixas etárias

Segundo Neide Camacho, diretora-executiva da Secretaria de Assistência Social, a parceria com a Fundação Pe. Luiz Facchini vai possibilitar atender às famílias das crianças que já se alimentavam nas cozinhas e também os idosos. “Assim, garantimos a segurança alimentar de todas as faixas etárias nestas comunidades”, afirma.
Cleri Campos, a coordenadora da cozinha Ulysses Guimarães, explica que a parceria vai beneficiar moradores da região que têm renda muito baixa e, em muitos casos, nenhuma fonte de recursos. “Os pais, que ficavam de fora, vão ter garantido o almoço, e os avós”, afirma.
Atualmente, 20 voluntários se revezam para fazer o almoço servido de segunda a sexta-feira. Agora, a equipe terá de crescer. Segundo Neide, existe a possibilidade de o número de adultos atendidos em toda a cidade aumentar. “O último levantamento do IBGE aponta que Joinville ainda tem muitas regiões onde as pessoas vivem em vulnerabilidade social e existe a necessidade de intervenções”, explica.
Uma das ações desenvolvidas é o projeto Ação na Comunidade, que vai atender bairros que não estão em nenhum Cras. “É um projeto piloto, que vai atender às pessoas de regiões vulneráveis”, completa.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade