Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

O adeus para o W da Weg

Werner Ricardo Voigt, 85 anos, último remanescente do trio de fundadores, faleceu no início da tarde desta quarta-feira em Jaraguá do Sul

Shirlei Paterno
Joinville

Familiares e amigos se despedem na manhã desta quinta-feira do último sócio-fundador do Grupo Weg, Werner Ricardo Voigt. Conhecido como o W da sigla, ele será enterrado às 11 horas, no Cemitério Central de Jaraguá do Sul. Werner morreu aos 85 anos no início da tarde de ontem, por volta das 13 horas, no Hospital São José, de Jaraguá do Sul, de causas naturais.

 

Divulgação/ND
Werner Voigt, 85 anos, morreu às 13h desta quarta-feira  em Jaraguá do Sul

O empresário estava internado desde dia 28 de maio. No ano passado, havia sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) de gravidade média. Como ocorreu com os outros dois sócios cofundadores do grupo, Geraldo Werninghaus e Eggon João da Silva, falecidos em 1999 e 2015, respectivamente, Voigt está sendo velado na Arweg (Associação Recreativa da Weg). O empresário era viúvo e deixa três filhas.

Em 16 de setembro de 1961, juntamente com Eggon João da Silva e Geraldo Werninghaus, Voigt fundou a Eletromotores Jaraguá, que na época produzia apenas motores elétricos. Anos mais tarde, a empresa criada por um eletricista, um administrador e um mecânico viria a ganhar uma nova razão social, a Eletromotores WEG SA. O nome é a junção das iniciais dos três fundadores. Em 2014, os três entraram para a lista dos bilionários da revista norte-americana Forbes.

A morte ganhou grande repercussão. A família preferiu não falar com a imprensa, mas entidades de classe, políticos e demais autoridades lamentaram a morte do último sócio-fundador da Weg. O governador Raimundo Colombo destacou que não apenas Jaraguá do Sul, mas o Estado perde um homem realizador e empreendedor.

A Prefeitura de Jaraguá do Sul decretou luto oficial de três dias. Em nota, lamentou a morte e destacou o empresário como um homem “empreendedor e cidadão que prestou inestimáveis serviços não só ao município de Jaraguá do Sul como ao Estado de Santa Catarina e ao próprio Brasil.” Para o prefeito Dieter Janssen, Werner Voigt era um exemplo de empresário e ser humano para Jaraguá do Sul.

Trajetória destacada com admiração

O médico neurologista e deputado estadual, Vicente Caropreso, foi por longo tempo, médico de Voigt. Foi ele quem prestou o primeiro atendimento ao empresário, no ano passado, quando ele sofreu o AVC logo após a morte do empresário e sócio, Eggon João da Silva. Caropreso destacou a bondade, o respeito e a vontade de incentivar como as principais características do empresário.

Em seu perfil na rede social, o deputado federal Mauro Mariani lamentou a morte do último fundador da Weg e destacou sua importância no Estado, enfatizando queseu exemplo de vida sirva de inspiração para todos nós.

A Acijs (Associação Empresarial de Jaraguá do Sul), por meio de um comunicado, reconhece a valiosa contribuição que o empresário dedicou ao desenvolvimento econômico e social de Jaraguá do Sul e Santa Catarina. “Werner Voigt deixa como legado, dentre tantas realizações, ativa e permanente participação em favor da comunidade através de apoio a várias iniciativas.”

Quem era Werner Ricardo Voigt

Nascido no dia 8 de setembro de 1930, Voigt era descendente de imigrantes alemães da região de Düsseldorf. Desde pequeno, sempre teve a eletricidade como uma paixão. Aos seis anos, já demonstrava inclinação para os assuntos da eletricidade, produzindo maquetes completas de serrarias.

Influenciado por seu avô, se tornou um amante dos livros e da música. Aos 14 anos, tocava clarinete. Quando adolescente, morou em Joinville e estudou no Senai. Seu primeiro emprego foi com Werner Strohmeyer, dono de uma oficina de rebobinamento de motores elétricos.

Aos 18 anos, foi convocado para servir ao Exército em Curitiba. Foi um dos soldados selecionados para a Escola Técnica Federal, onde se especializou em radiotelegrafia e eletrônica. No retorno a Joinville, trabalhou na concessionária de energia elétrica local por dois anos. Aos 23 anos, atuou na oficina de "Kanning & Weber". Em setembro de 1953, iniciou seu próprio negócio, instalando uma pequena oficina no centro de Jaraguá do Sul.

Voigt sempre foi um homem de tecnologia. Grande responsável pelo desenvolvimento tecnológico da Weg, ele também contribuiu com o desenvolvimento da indústria brasileira. Sua visão de longo prazo aliada à capacidade técnica foram decisivas na implantação de normas técnicas na sua empresa e no país. Da mesma forma, sua influência foi importante para a empresa adotar o padrão IEC (International Electrotechnical Commission), baseado no sistema métrico decimal.

Voigt foi diretor técnico da Weg até 1980. Depois, por oito anos foi diretor superintendente da Weg Máquinas, unidade que produzia geradores e motores de alta tensão. Fez parte do Conselho de Administração da Weg de 1989 a 2005, bem como da WPA, holding de controle do grupo.

Até os últimos dias de vida, Werner foi um frequentador assíduo das fábricas da Weg. Conviveu com engenheiros recém-formados ou já experientes com o mesmo prazer de sempre. Perguntando, olhando, ouvindo, descobrindo e conversando, dividiu sua experiência na produção e na solução de problemas.

Com mais de 30 mil funcionários, a empresa teve faturamento líquido de R$ 9,8 bilhões em 2015. Tem fábricas em vários Estados brasileiros e países como Argentina, México, África do Sul, do Sul, China, Índia, EUA, Áustria, Espanha e Alemanha.

FRASES

“Com sua inteligência e criatividade, Werner desenvolveu um setor importante da nossa economia, gerando milhares e milhares de empregos. A sua simplicidade encantava a gente, a sua inteligência era uma referência para todos nós. A sua obra, o resultado do seu trabalho, influência na economia de Santa Catarina, do Brasil e seu exemplo de vida é um ensinamento para a gente.”
Raimundo Colombo, governador de Santa Catarina

Na área empresarial foi um dos fundadores da Weg, grupo de destaque nacional e internacional. Também teve grande envolvimento com a comunidade. Sempre esteve envolvido em obras sociais, de saúde e cultura dentre estas a fundação da Scar (Sociedade Cultura-Artística) e o auxílio aos hospitais e entidades filantrópicas.”
Dieter Janssen, prefeito de Jaraguá do Sul

“Era um homem extremamente simples, na sua empresa tratava todo mundo igual, desde o trabalhador de chão de fábrica até os engenheiros. Vestia-se sempre de maneira simples, era um homem preocupado com a comunidade, com os amigos e a família.”
Vicente Caropreso, deputado estadual e médico de Werner Voigt

 Perdemos um grande empreendedor, que prestou importantes serviços não só ao município de Jaraguá do Sul, mas a Santa Catarina e ao Brasil. Que seu exemplo de vida sirva de inspiração para todos nós.”
Mauro Mariani, deputado federal

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade