Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Mudanças no trânsito nas zonas Norte e Leste de Joinville ainda confundem motoristas

No bairro Bom Retiro, reclamação principal é com o constante congestionamento na rua Arno Waldemar Döhler

Suellen Dos Santos Venturini
Joinville

As mudanças no trânsito nas zonas Norte e Leste de Joinville ainda estão causando transtornos aos motoristas. Nesta quinta (7), moradores do bairro Iririú fecharam a rua Papa João 23 para protestar contra as mudanças instituídas no mês passado. Na zona Norte, dez dias após a mudança no trânsito da avenida Santos Dumont, no bairro Bom Retiro, que passou a ser mão única do final de rua Dr. João Colin até a esquina com a rua Arno Waldemar Döhler o sentido bairro-Centro tem sido sinônimo de filas para os motoristas.

 

 

Carlos Junior/ND
Rua Arno Waldemar Döhler recebe agora maior volume de tráfego que se dirige ao Centro

 

Jandira Boruffi, 59 anos, passa pela rua todos os dias há 35 anos e conta que agora tem que se reprogramar para buscar o marido na empresa onde trabalha. “Está complicado. Se antes eu saia de casa 17h20 agora eu tenho que sair muito antes”, conta. É que como a implantação da mão única os motoristas que seguem para o Centro de Joinville continuam enfrentando  congestionamento na via.

No fim da tarde desta quinta, a fila de carros se estendia por cerca de dois quilômetros na avenida Santos Dumont e seguia por toda a rua Arno Waldemar Döhler até a rotatória com a rua Dona Francisca. Mesmo com os congestionamento, de acordo o diretor-presidente do Ippuj (Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville), Vladimir Tavares Constante, as mudanças no trecho estão correndo de acordo com o planejado. “A implantação da mão única tinha a intenção de melhorar o tempo de chegada à universidades, ao shopping e às industrias e isso tem acontecido”, explica. “Antes a linha Bom Retiro demorava cerca de 40 minutos para percorrer um trajeto de dois quilômetros e isso era inaceitável”, completa.

De acordo com o diretor, as rotas alternativas que podem ser opções para quem vai para o Centro, que são a rua Tenente Antônio João e a rodovia Edgar Meister, que corta o eixo industrial, estão sendo usadas, mas “a rua Arno Waldemar Döhler sempre registrou filas, agora claro que está maior.”

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade