Publicidade
Domingo, 19 de Agosto de 2018
Descrição do tempo
  • 22º C
  • 14º C

Monumento na praça da Paz, no parque da Cidade, vai homenagear as Forças de Paz da ONU

Primeira escultura da arquiteta paulista radicada em Joinville, Edith Khahold Rodrigues Steffen ressalta integração das raças e etnias

Redação ND
Joinville
Rogerio da Silva/ND
Monumento feito por Edith vai decorar a praça da Paz, prevista para novembro

Traduzir os cuidados com a vida e celebrar a integração das raças e etnias. Esta foi a intenção da arquiteta Edith Khahold Rodrigues Steffen ao conceber o projeto do monumento às Forças de Paz da ONU (Organização das Nações Unidas), que será instalado na praça da Paz, no setor Sambaqui, do parque da Cidade, no Guanabara.

O monumento será composto por dois toténs que formam um ovo, feitos em concreto armado e fixados em base de concreto que sustenta uma esfera também em concreto, preenchido com detalhes em relevo. Para realçar a obra, refletores serão embutidos no piso. “Ovo simboliza a concepção da vida, neste caso, envolvendo o planeta Terra e as suas formas de vida.

Conota paz, afeto, segurança e proteção”, explica Edith. A estrutura será pigmentada ainda em preto e branco para evidenciar a integração das etnias.
O projeto foi um dos cinco inscritos no concurso realizado pelo Ippuj (Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville) e Arquitetos Unidos do Norte de Santa Catarina. Os trabalhos foram julgados por uma comissão formada por arquitetos, artistas plásticos, pelo presidente da Associação dos Boinas Azuis de Joinville, Bento Gastaldi, e pelo subtenente do 62o Batalhão de Infantaria, Carlos Cezar Butzge.
Esta é a primeira vez que Edith projeta um monumento. “Comecei rabiscando algumas ideias, meu marido, que trabalha com marketing, deu algumas sugestões para que o projeto fugisse dos clichês. Foram duas semanas de criação.”

Ela decidiu trabalhar com concreto armado pela durabilidade do produto e pela facilidade do material para expressão das formas concebidas pela autora. O projeto estrutural deverá custar no máximo R$ 8 mil e, segundo o diretor executivo do Programa Linha Verde, Vânio Lester Kuntze, será feito por uma empresa que está doando a mão de obra.

A confecção do monumento começa nos próximos dias e deve ser concluída até 19 de novembro, quando a praça da Paz será inaugurada. O Ippuj aguarda a presença de representantes da ONU no evento.

Divulgação
Obra terá Totens sustentados por concreto, com esfera simbolizando aTerra

Valores humanitários que vêm de família

A ajuda humanitária já faz parte dos valores da família da arquiteta. “Sempre procuramos fazer alguma coisa em prol da ajuda humanitária enviando donativos ou até mesmo dinheiro para auxiliar os necessitados”, contou Edith.
O filho dela, Paolo, 8 anos, é o mais animado com a escolha do projeto. “Ele já contou para todos os amigos na escola. Está bem empolgado. É uma coisa muito legal, pois é por uma causa nobre.”
Edith é formada pela Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho), em São Paulo. Ela se mudou para Joinville há cerca de dez anos e afirmou ter criado uma ligação forte com a cidade. “Meu filho nasceu aqui e agora a ligação será mais forte”, ressaltou.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade