Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Médicas cubanas começam a clinicar na segunda, em Jaraguá do Sul

Médica uzbequistanesa ainda aguarda a liberação do CRM para começar a trabalhar

Redação ND
Joinville

Duas profissionais do Programa Mais Médicos, do governo federal, passam a atuar em Jaraguá do Sul a partir da próxima segunda-feira (14). Yamila Felicia Valdes Gonzalez e Yamile Mari Nin, ambas de Cuba, vão atender nos postos de saúde dos bairros Santo Antônio e Santa Luzia, respectivamente. Segundo o secretário Municipal de Saúde, Ademar Possamai, a liberação do número do CRM (Conselho Regional de Medicina) aconteceu nesta quarta-feira (13). No Brasil, apenas médicos com o registro têm autorização para clinicar.

Divulgação/PMJS/ND
Divulgação/PMJS/ND
Yamila (E) e Yamile (C) começam a clinicar na segunda. Marzhan (D) ainda aguarda o registro no CRM

A médica uzbequistanesa Marzhan Zhalmakhanbetova aguarda a liberação do CRM para começar a clinicar no posto de saúde do bairro Rio Cerro II. Durante toda a quarta-feira (13), Marzhan acompanhou o funcionamento e os atendimentos na unidade de saúde, onde vai atuar como médica da Estratégia Saúde da Família.

A Secretaria da Saúde pede às comunidades de Santo Antônio e região e Santa Luzia e região que entrem em contato com a sua unidade de saúde previamente para se informar sobre os agendamentos de consultas. O telefone do posto de saúde do bairro Santa Luzia é (47) 3274-8149 e o do bairro Santo Antônio é (47) 3276-0570.

Perfil das profissionais

Uma das médicas é Yamila Felicia Valdes Gonzalez, 44 anos, natural de Havana, capital cubana. Ela se formou em medicina pela Universidade de Ciências Médicas de Havana em 1993. Há 20 anos atua como médica geral integral, algo semelhante ao médico da Estratégia Saúde da Família no Brasil. Ela conta que se inscreveu no Programa Mais Médicos a convite da Opas (Organização Pan-americana da Saúde), a qual é cooperada. “Vim para o Brasil para ajudar na saúde do povo brasileiro”, afirma.

Yamile Mari Nin, 42 anos, natural de Holguín, província ao Sul de Cuba, se formou na Universidade de Santiago de Cuba em 1995 e também atua, há 18 anos, como médica geral integral. Tanto Yamile (pronuncia-se Jamile) quanto Yamila (Jamila) participaram de missões humanitárias na Venezuela, devido ao convênio com a Opas. As duas colegas, que se conheceram durante o treinamento do Programa Mais Médicos no Espírito Santo, relatam que as unidades de saúde da família em Cuba contam com um médico geral integral, um ginecologista, um pediatra, um dentista, um enfermeiro e um agente de combate a vetores (principalmente o mosquito da dengue). “O médico geral integral trabalha 8 horas por dia, de segunda a sexta-feira, e nos sábados, até o meio-dia. Estamos com um trabalho bem forte em Cuba contra o mosquito da dengue”, detalha Yamile.

A terceira médica é Marzhan Zhalmakhanbetova, 29 anos, nascida no Uzbequistão, naturalizada no Cazaquistão, países da Ásia Central, próximos à Rússia. Ela se formou pela Tashkent Medical Academy (Uzbequistão) há cinco anos e também há cinco atua como médica da família. Ela aprendeu português com o marido, funcionário da Embaixada do Brasil no Cazaquistão. A notícia do Programa Mais Médicos do Brasil partiu de amigos brasileiros que o casal tem em Brasília e no Rio de Janeiro. “Gostamos muito do Brasil e estou feliz de estar aqui e poder exercer a medicina neste país”, conta Marzhan (pronuncia-se Marjan).

Médico mexicano também atua na cidade

Com as novas médicas, sobe para quatro o número de profissionais do Mais Médicos na cidade. O médico mexicano Héctor León Romero, 31 anos, foi o primeiro a se apresentar, em 23 de setembro. Desde que recebeu o registro para clinicar, no dia 10 de outubro, Romero atua no Posto de Saúde Dr. Álvaro Batalha, na Vila Lalau. Segundo o secretário da Saúde, a comunidade o recebeu muito bem e tanto o médico quanto a comunidade estão felizes com o trabalho que está sendo realizado.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade