Publicidade
Terça-Feira, 13 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

Lideranças políticas apoiam Luiz Henrique à presidência do Senado

Político catarinense passou o dia em defesa de sua candidatura

Josi Tromm Geisler
Joinville

O Senado Federal pode eleger no próximo domingo o primeiro presidente do órgão do Sul do Brasil em 30 anos. Desde a última terça-feira, quando o senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) anunciou sua candidatura ao cargo, os bastidores da política ganharam um tempero especial. Ontem, a movimentação no Congresso Nacional era intensa, já que o catarinense enfrenta o atual presidente, o alagoano Renan Calheiros, do mesmo partido. A divisão no PMDB já estava anunciada, mas deve ganhar novos capítulos a partir deste cenário.

Em 30 anos da Nova República [a partir de 1985, quando José Sarney se tornou presidente do Brasil, após o fim da Ditadura Militar] o Sul e Sudeste brasileiro nunca conseguiram eleger um presidente do Senado. O nome de Luiz Henrique já vinha sendo especulado, mas o próprio senador evitava falar sobre o assunto. Na segunda-feira, em reunião com alguns políticos joinvilenses, o senador confirmou seu nome à eleição, mas só tornou pública a decisão no dia seguinte.

Desde terça-feira Luiz Henrique está em Brasília viabilizando sua candidatura. Ele ficará na Capital Federal pelo menos até domingo, quando 27 senadores eleitos em outubro de 2014 tomam posse e se juntam a outros 54. Em seguida elegem a nova Mesa Diretora, com mandato de dois anos. Esta será a 55ª legislatura, com duração de quatro anos, conforme determina a Constituição federal.

Ontem, Luiz Henrique se dizia otimista com a candidatura. Já teria apoio de parte da bancada peemedebista, hoje formada por 19 senadores, e outros como Cristovam Buarque (PDT-DF), Aécio Neves (PSDB-MG) e José Serra (PSDB-SP). “Minha responsabilidade é de presidir o Congresso Nacional. Quero estabelecer o diálogo com as lideranças da Câmara e do Senado, o diálogo com os governadores, com o governo federal, para que nós possamos levantar uma pauta de emergência a favor do Brasil”, resumiu Luiz Henrique.

O senador passou o dia em audiências, e a primeira delas foi com o presidente Renan Calheiros, que sugeriu ao senador que a bancada no PMDB decida o candidato. “Foi uma conversa tranquila, pedi a ele que como presidente conduza a disputa para um consenso, pois tenho compromisso com os companheiros do PMDB e com os companheiros de todos os partidos: a minha candidatura é irreversível e legal, dentro do que manda o regimento interno da Casa.”

Na última eleição Luiz Henrique havia recuado em favor de Calheiros. “Se recuar novamente, perderei minha credibilidade. Estou muito confiante na vitória.” O atual presidente disse, por meio de nota, que “o nome a ser apoiado deverá ser aquele que for escolhido pela maioria dos 19 senadores do PMDB”. Calheiros prefere deixar a maioria decidir, já Luiz Henrique, garante não voltar atrás.

A intenção de Luiz Henrique é apresentar amanhã a composição da chapa dos demais membros da mesa diretora e das propostas que ele defende nessa pauta de emergência, que são as reformas política, tributária e econômica, entre outras.

Além de Luiz Henrique e Renan Calheiros, o PSB pode anunciar outro nome como candidato. O partido vai apresentar um programa com propostas, como reformas política e tributária, além de um novo pacto federativo, aos candidatos à Presidência do Senado. A partir da discussão desses temas a legenda vai definir se apoia alguém ou se lança um candidato próprio, no caso, o senador Antonio Carlos Valadares (SE).

 

Lideranças do Norte apoiam Luiz Henrique

A candidatura do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) à presidência do Senado criou expectativas bastante positivas entre lideranças de Joinville e região. Além do sentimento de orgulho ao imaginar ter um joinvilense no comando de um dos cargos mais influentes do País, a torcida para que essa pretensão se concretize também se dá pela oportunidade de ampliar a notoriedade do Estado de Santa Catarina.    

Pupilo do senador Luiz Henrique, o prefeito de Jonville, Udo Döhler (PMDB), viu com bons olhos a candidatura do colega de partido para o fortalecimento do poder legislativo no momento em que a política nacional acumula denúncias de corrupção. “Boa oportunidade para Joinville, Santa Catarina e, sobretudo, para o país. [...] Uma oportunidade que chega em boa hora para fortalecer o Poder Legislativo no país que tem uma série de desafios a serem resolvidos.”

Para o presidente da Acij (Associação Empresarial de Joinville), João Martinelli, a presença de um catarinense no comando do Senado trará benefícios para o Estado. “Evidentemente que o presidente do Senado tem uma importância institucional muito grande. Seria um prestígio para Joinville se o presidente fosse Luiz Henrique. Estaria em excelentes mãos. O senador tem credibilidade. Eu acredito que se perceberá uma maior influência e é obvio que trará benefícios”, enfatizou. 

Para o presidente estadual do PSDB, o senador Paulo Bauer (PSDB), a candidatura de Luiz Henrique “é legítima e merece aplauso”. “O senador levará ao pleito sua história baseada na defesa da democracia e da justiça, dos valores do povo catarinense e uma ampla experiência como homem público e gestor.” Ainda, segundo o tucano, se eleito, o peemedebista continuará “trabalhando com a mesma dedicação em benefício de todos os brasileiros que sempre foi sua característica”. (Daiana Constantino)

 

Diferenças políticas deixadas de lado

O deputado estadual Kennedy Nunes (PSD) contou que está na torcida pelo conterrâneo. “Acredito que o senador tem toda capacidade para o cargo. Para Joinville, seria excelente ter um catarinense na presidência. A minha torcida é para ele chegar lá, fora as nossas diferenças políticas. [...] Na prática ter um catarinense na presidência poderia ajudar na questão orçamentária.”

Segundo o deputado federal Mauro Mariani (PMDB), “a força política da presidência do Senado é muito grande”. “A figura do Luiz Henrique é importante para o momento que vive o País de falta de credibilidade das instituições.” Além de lideranças de Joinville, o próprio governador Raimundo Colombo (PSD) manifestou apoio ao senador. O pessedista conversou, por telefone, com Luiz Henrique e parabenizou o catarinense pela decisão de concorrer à presidência do Senado, segundo informou a assessoria do governo. (Daiana Constantino)

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade