Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Jovem morre após passar mal em reabertura de casa noturna, em Joinville

Segundo informações, Bruna Cristina de Souza, 17, morreu devido a complicações cardíacas no PA Leste

Redação ND
Joinville
Reprodução Facebook/ND
Reprodução Facebook/ND
Bruna cursava o ensino médio e já trabalhava pelo Programa Jovem Aprendiz

O que era para ser uma noite divertida com o namorado e dois amigos, na festa de reabertura de uma casa noturna da zona Norte de Joinville terminou de forma trágica para uma adolescente de 17 anos. Bruna Cristina de Souza passou mal durante a balada, voltou para casa e precisou ser hospitalizada às pressas em seguida. Às 6h40 de domingo (14), Bruna morreu no PA (Pronto-atendimen­to) Leste, segundo informações, provavelmente devido a complicações cardíacas. Um possível caso de overdose por uso de ecstasy está sendo conside­rado como responsável pelo fim precoce da vida da adolescente, mas não há qualquer confirmação.

O corpo de Bruna foi levado ao IML (Instituto Médico Legal) de Joinville, onde amostras de sangue e de tecidos foram coletadas e enviadas para análises em Florianópolis. Entre 30 a 45 dias, o resultado des­tes exames deve apontar a real causa e as circunstân­cias da morte da jovem, que há um mês completou 17 anos e há uma semana fez um ano de namoro.

A família, desesperada, aguarda pelo resultado da necropsia para entender o que de fato aconteceu. “Ela era uma menina tranquila, responsável, não ti­nha vícios. Era muito alegre, caseira e companhei­ra. A gente ainda não sabe ao certo o que aconteceu. Apenas sabemos que ela saiu animada de casa para ir à balada, e voltou muito ruim, vindo a falecer”, relatou a técnica de enfermagem Francisca Alves Elias, 40, parente da menina. A mãe de Bruna não tinha condições para falar sobre o caso.

Ela e mais cerca de cem pessoas, entre amigos e familiares, passaram a tarde deste domingo na Capela São Sebastião, no Iririú, à espera do corpo da menina de “sorriso marcante e olhar afável”, con­forme declaravam os amigos, inconsolados, no funeral. Bruna, apesar da pouca idade, já trabalhava com auxiliar administrativo no Programa Jovem Aprendiz. Ela cursava o ensino médio e fazia curso técnico. “Era uma menina boa. De boa índole. Estava com meu filho há um ano. Os dois eram um casal muito caseiro e bastante presente tanto com a nossa família quanto com a família dela. Eles não tinham vícios e quase não bebiam”, disse o pai do namorado de Bruna, Edson Odenor Martins, 44 anos.

Ele disse que o filho está muito abalado com a situação. Até o fim da tarde de on­tem, ele ainda não teria conseguido con­versar com o garoto para saber o que real­mente aconteceu entre a saída de casa para a balada e o final da noite trágica.

Bruna foi enterrada na manhã desta segunda-feira (15) , no Cemitério São Sebastião. Ela era a filha mais velha de três irmãos.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade