Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Joinvilenses devem gastar mais com material escolar

Pesquisa mostra que maioria dos pais já realizou as compras

Isabella Mayer de Moura
Joinville
Fabrício Porto/Arquivo/ND
Pesquisa da Fecomércio analisou o perfil do consumidor joinvilense




O joinvilense está gastando mais com o material escolar. Uma pesquisa realizada pela Fecomércio-SC (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina) mostrou que pretendem gastar mais dinheiro na compra de materiais escolares para este ano letivo. A intenção dos pais é gastar, em média, R$ 234,16. No ano passado, a previsão era desembolsar R$ 228,57 para esta tarefa.

Mas o gasto médio varia conforme a escola. Para os alunos de instituições públicas, o valor deve ser de R$ 204,66. Já para os estudantes de escolas particulares, o investimento sobe para R$ 311,07.

O estudo de intenção de consumo na volta às aulas também mostra que a maioria dos pais joinvilenses já comprou os materiais escolares. Na época em que a pesquisa foi feita – entre os dias 22 e 24 -, 53,2% deles responderam que já haviam adquirido os itens pedidos pelas escolas e o restante afirmou que concluiria esta missão até o fim de janeiro.
Além da antecipação das compras, 77,2% dos consumidores disseram que têm intenção de fazer o pagamento do material escolar à vista, em dinheiro.

Entre as alternativas para economizar, os pais disseram que vão pesquisar os preços, que, aliás, é o segundo critério avaliado na hora de levar os materiais. Para os consumidores de Joinville, o selo de qualidade do produto é ainda mais importante do que o valor pago.

O gestor provisório da FCDL/SC, Itamar José da Silva, diz que os resultados da pesquisa refletem o ambiente econômico que o consumidor está vivendo, o que acaba provocando uma prudência na hora dos gastos, como por exemplo, a tendência de pesquisar preços antes de comprar.

“Por isso, é importante que o lojista preste atenção às expectativas do consumidor, inclusive às suas sugestões, como as promoções e os descontos especiais listados na pesquisa”, conclui ele.

Entretanto, mesmo com as orientações dos economistas para que não façam isso, 59,1% dos pais entrevistados responderam que vão levar os filhos na hora da compra dos itens da lista escolar. Por causa disso, a influência dos pequenos na escolha dos produtos também é grande: 52,7% dos consumidores admitiram que a opinião dos filhos tem peso na decisão sobre qual item vai ser levado para casa.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade