Juliana
A gente tem que ter compaixão daqueles que trabalham o dia inteiro,ganham pouco,são humildes,mas nem por isso ficam nessa vadiagem,incomodando os outros.Olha essa situação:02 excluídos pela sociedade ,um morto e outro ocupando vaga no hospital ,um motociclista também morto por esses irresponsáveis e mais a motorista do carro,coitada,traumatizada.E a sociedade pagando pra essa vadiagem comer,beber e dormir de graça.Passem de manhã cedo em frente a passarela,ao lado do CentroSul,uma fila de homens(maioria)e mulheres aguardando o café.Cambada de vadios e drogados.A prefeitura faz a sua parte,mas de onde vem esses moradores?Ninguém se responsabiliza por eles,as cidades de origem,seus pais?Vem tudo pra cá,as nossas custas?E quando são convidados para fazer tratamento ,não querem.Vadios e vagabundos.
Dr. Zaius
Na Trindade, em frente ao Shopping Iguatemi, é a mesma situação dioturnamente, Pessoas, inclusive com crianças junto, se arriscam ao atravessar praticamente em baixo da passarela existente, por pura preguiça de subir as escadas da própria ou para andar mais alguns metros até o semáforo. Quem procura um dia acha. É só uma questão de tempo. Depois que acontece a tragédia é mais fácil por a culpa em alguém, como de costume.
Mais comentários