Publicidade
Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 32º C
  • 22º C

Governo de Santa Catarina vai levar água para as comunidades mais afetadas pela seca

Está prevista a aquisição de 117 tratores e 100 distribuidores de adubo líquido com capacidade de 6 mil litros

Redação ND
Florianópolis
Divulgação/ND
Seca Oeste Santa Catarina Chapecó
Região de Chapecó voltou a ser atingida pela estiagem

 

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca está definindo as primeiras ações para combater a estiagem no Estado. Para 2013, está prevista a aquisição, em convênio com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, de 117 tratores e 100 distribuidores de adubo líquido com capacidade de 6 mil litros, no valor de R$ 10,9 milhões, para transporte de água até as comunidades no interior dos municípios afetados pela falta de água.

Também serão perfurados 336 poços artesianos e distribuídos bombas d’água e reservatórios de 20 mil litros para 99 municípios, num investimento de R$ 10 milhões, por meio de convênio entre a Secretaria de Estado da Defesa Civil e o Ministério da Integração Nacional.No próximo ano, o governo do Estado vai investir mais R$ 60 milhões no Programa Caminhos do Desenvolvimento, que terá 50% do seu valor destinados para perfuração de poços artesianos, aquisição de cisternas e distribuidores de adubo líquido. Os outros 50% vão para subvenções ou subsídios aos agricultores que investirem em sistema de captação, armazenagem ou uso racional de água na agricultura.

Nos últimos 10 anos, a agricultura de Santa Catarina registrou sete estiagens. Em 2011, os prejuízos com a seca somaram R$ 770 milhões, principalmente com perdas nas safras de grãos (milho, soja e feijão) e a produção de leite.

Na última sexta-feira, dia 7, o secretário da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, conferiu os benefícios dos investimentos em captação e armazenagem da água da chuva na propriedade do avicultor Roque Gaspareto, morador do distrito de Sede Figueira, em Chapecó, que construiu uma cisterna para armazenar 800 mil litros de água. O investimento teve os juros subsidiados pelo Programa Juro Zero Agricultura/Piscicultura.

O secretário ressalta que somente neste ano em Santa Catarina foram instaladas 248 cisternas com capacidade que varia de 20 mil a um milhão de litros de água pelo programa, que será mantido em 2013. O investimento para a obra na área rural de Chapecó foi de aproximadamente R$ 28 mil e contou com o apoio do Juro Zero para o pagamento dos juros.

A cisterna construída na propriedade da família Gaspareto atualmente conta com 200 mil litros de água armazenados mesmo com a falta de chuva constante na região.

Mais dinheiro para construir cisternas

Integrado a uma agroindústria, Roque Gaspareto entregou, esta semana, um lote de aves para o frigorífico e não teve problemas com a falta de abastecimento. “Vai chegar mais um lote de 12 mil aves. Mesmo que não chova a partir de agora, tenho água armazenada para mais 50 dias”, disse o avicultor. A cisterna é feita com estrutura de aço galvanizado, coberta por uma manta, e tem filtro por onde passa a água transportada através dos canos para abastecimento do aviário.

O Programa Juro Zero Agricultura/Piscicultura possibilita aos agricultores o acesso à até R$ 50 mil, com subvenção de 100% dos juros previstos para operações de crédito dos produtores rurais que se enquadrarem no Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar). Como medida para minimizar os efeitos causados pela estiagem em Santa Catarina, a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca ampliou ainda em R$ 10 milhões o limite de recursos para financiamentos do programa voltados para investimentos em construção de cisternas e aquisição de equipamentos para irrigação pelos agricultores dos municípios atingidos pela estiagem. “Este é um exemplo de ação capaz de diminuir as consequências da estiagem”, disse o secretário João Rodrigues.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade