Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Estudantes do Colégio de Aplicação trocam de casa por dois meses com colegas argentinos de Córdoba

Enquanto eles vão, 11 meninas argentinas serão "adotadas" por famílias de Florianópolis

Edson Rosa
Florianópolis

Eventuais diferenças entre Brasil e Argentina, normalmente acirradas durante confrontos entre as duas seleções de futebol ou na invasão portenha de veraneio na Ilha, ficaram em segundo plano. Pelo menos para 11 alunos do ensino médio do Colégio de Aplicação da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), nove garotas e dois rapazes entre 16 e 17 anos, que nos próximos dois meses farão do país vizinho a extensão da casa deles. Lá, serão “adotados” pelos pais de 11 meninas argentinas, da mesma faixa etária, estudantes da Escuela Superior de Comércio Manuel Belgrano, da Universidad Nacional de Córdoba. Elas chegam a Florianópolis na primeira semana de agosto, e ficarão hospedadas em casas dos novos colegas brasileiros.

Eduardo Valente/ND
Os coordenadores Danuza e Thomas (à dir.) e os 11 adolescentes que vão a Córdoba


Trata-se da 23ª turma do Projeto Córdoba, intercâmbio acadêmico e cultural existente desde 1992 entre duas instituições. De lá para cá, 462 adolescentes dos dois países já participaram da troca de experiências que envolve, também, pais e todo o corpo docente dos dois. Segundo uma das coordenadoras, a professora de geografia Danuza Meneghelo, a escolha dos selecionados passa por um criterioso processo interno, entre março e junho, que envolve atividades pedagógicas orientadas pelos demais professores do colégio.

Tudo começa com a escolha do tema de pesquisa do projeto individual relacionado ao país visitado. “A partir daí, cada aluno passa a ter um orientador. E isso cria uma rede envolvendo também familiares”, explica a professora. Entre os temas pesquisados estão transporte público, ambientes de conservação natural, saneamento básico, regimes ditatoriais, movimentos políticos, cultura, lazer, comportamento da juventude, música, folclore, medicina natural, literatura, mídia, moradores de rua, patrimônio histórico material e imaterial e sexualidade.

Desafio pessoal

Novidade para a maioria dos adolescentes do Aplicação, ficar dois meses longe dos pais para estudar no país vizinho será um desafio pessoal. Além da saudade natural e de abrir mão das mordomias paternais inerentes à adolescência, sair de casa pela primeira vez, mesmo que temporariamente, exigirá adaptação ao clima seco e frio de Córdoba, aos costumes locais e à rotina da nova família. A língua também pode ser uma dificuldade, apesar de a inclusão do ensino de espanhol na grade regular do colégio ter sido uma das conquistas do Projeto Córdoba.

“Aprendemos o básico, mas é difícil compreender quando eles conversam entre si, por exemplo. Tem o sotaque que precisamos aprender para facilitar a comunicação”, diz Maria Luiza Santos Rosa, 17 anos, única representante do 3º ano na turma do Aplicação. Para Isadora Sanches, 16, a viagem será uma forma de criar laços de amizade e entender como lidar com virtuais diferenças.

Outro coordenador, Tomás Figueiredo Fontan, também professor de geografia, destaca a importância do envolvimento familiar. “O apoio de pais, tios e irmãos é importante para eles se sentirem seguros. E para que as famílias de lá também se sintam seguras em relação a seus filhos”, diz.

Fontan destaca a boa receptividade aos brasileiros em Córdoba. Nos primeiros dias de intercâmbio, segundo ele, a dificuldade com a língua espanhola é uma constante, mas em poucos dias é possível superar o estranhamento inicial.

PROVÍNCIA DE CÓRDOBA
Características

Localizada na região central, Córdoba é a segunda cidade mais importante da Argentina.

Tem superfície de 165.321 Km² e paisagem diversificada, com planícies, salinas, lagunas e serras que estas percorrem a província de Sul a Norte.

A altitude vai de 1.950 metros, em Sierra Chica, departamento de Totoral, a 2.790 metros, em Sierra Grande, departamento de Calamuchita.

Quem vai

Ana Carolina Costa Agustinho – 2ª A

Artur Andrade – 2ª A

Bianca Reis Marins – 2ª D

Heloisa Peres Luz – 2ª B

Isadora Sanches – 2ª D

Joana Milan Lorandi - 2ª A

Maria Antonia Lopes – 2ª A

Maria Clara Prates Rocha - 2ª A

Maria Luiza dos Santos Rosa - 3ª B

Natália Kilpp - 2ª C

Tadeu Bueno Cabral - 2ª D

Professores coordenadores

Danuza Meneghello – geografia

Tomás Figueiredo Fontan - geografia

Fernanda Muller - português

Sandra Mendonça - geografia

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade