Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Defesa Civil Nacional confirma recursos para muro de contenção na SC-406, em Florianópolis

Local na Barra da Lagoa sofreu deslizamento de terra com a enxurrada de janeiro de 2018 e terá obra estimada em R$ 1,5 milhão

Michael Gonçalves
Florianópolis
25/07/2018 às 21H35

O secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Renato Newton Ramlow, confirmou nesta quarta-feira (25) o empenho de R$ 1.584.187,50 para a construção de um muro de contenção às margens da SC-406, entre a praia Mole e a Barra da Lagoa, em Florianópolis. No local ocorreu um deslizamento de terra com a enxurrada de janeiro deste ano e, desde então, a comunidade aguarda uma intervenção para garantir a segurança de quem circula pela rodovia estadual. Ramlow informou que a chuva intensa do início do ano resultou no envio de mais de R$ 17,7 milhões da Defesa Civil Nacional para a capital catarinense.

Deslizamento de terra, na enxurrada de janeiro, deixou o trecho inseguro para quem trafega pela SC-406 - Marco Santiago/ND
Deslizamento de terra, na enxurrada de janeiro, deixou o trecho inseguro para quem trafega pela SC-406 - Marco Santiago/ND


Na semana passada, ele já havia empenhado mais R$ 1,470 milhão para outra obra na SC-404, subida do Morro da Lagoa da Conceição. “O valor empenhado de R$ 1,584 milhão é o último repasse em consequência da enxurrada de janeiro. Mais de R$ 14 milhões foram destinados ao município e o restante das obras são de responsabilidade do Estado. Com o empenho, o Estado pode lançar a licitação e contratar a empresa, porque os recursos estão assegurados”, disse.

O secretário de Estado da Defesa Civil, coronel João Batista Cordeiro Júnior, informou que o próximo passo é comunicar o Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura) para a elaboração do edital de licitação. A enxurrada de janeiro destruiu mais de 200 ruas, oito pontes e duas rodovias estaduais na Capital. Além disso, o desastre natural também provocou três mortes e deixou dezenas de pessoas desabrigadas e desalojadas.

Na época, a SC-406 chegou a ficar interditada por um dia e o itinerário dos ônibus do transporte coletivo para a Barra da Lagoa foi desviado pelo Rio Vermelho por alguns dias em função do risco de novos deslizamentos. Desde então, o local permanece sem proteção e passível a novos deslizamentos.

Mais da metade dos reparos foi concluída na Capital

O chefe do setor de atividades técnicas da Defesa Civil de Florianópolis, Marcos Roberto Leal, explicou que as obras de recuperação de algumas ruas e pontes continuam, mas a grande parte já foi concluída. Ele explicou que a maioria das ruas foi reparada com recursos próprios, porque se tratava de pequenas intervenções.

Sete meses depois, nenhuma ação preventiva foi feita no morro - Marco Santiago/ND
Sete meses depois, nenhuma ação preventiva foi feita no morro - Marco Santiago/ND


As obras mais complexas foram recuperadas com recursos do governo federal. “Já entregamos mais da metade das obras, mas em alguns casos faltam alguns acabamentos. O importante é que recuperamos os acessos e devolvemos a rotina para as pessoas, mas ainda estamos trabalhando na execução dos detalhes dos projetos”, afirmou Leal.

O secretário João Batista Cordeiro Júnior aguarda agora a liberação de recursos para algumas intervenções na Serra do Rio do Rastro. “Aguardamos a liberação de mais R$ 19 milhões para a realização de obras em 25 pontos da Serra do Rio do Rastro, porque o plano de trabalho também já foi enviado”, explicou o secretário de Estado da Defesa Civil.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade