Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Décio Lima promete dobrar piso salarial dos professores em SC

Candidato ao governo do PT foi o primeiro a participar da rodada de entrevistas da RIC TV

Redação ND
Florianópolis
11/09/2018 às 22H07

Indicado por sorteio prévio, Décio Lima (PT) foi o primeiro candidato ao governo do Estado a participar da rodada de entrevistas conduzidas pelo jornalista Paulo Alceu, da RIC TV. Em 10 minutos, o ex-prefeito de Blumenau e atual deputado federal disse representar uma proposta de renovação na política catarinense e prometeu dobrar o piso salarial do Magistério com recursos da desoneração fiscal de grandes indústrias.

Líder da oposição no Congresso, Décio Lima garantiu apoio a Fernando Haddad, na campanha presidencial, diante da saída do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva da corrida eleitoral, mas tratou de distanciar a eleição estadual do processo nacional. “São temas desconectos em parte porque Santa Catarina vive o fim de um ciclo conhecido como Tríplice Aliança e eu apresento um projeto claro, de renovação e mudança para Santa Catarina”, justificou.

Décio Lima é candidato do PT ao governo do Estado - Foto Flávio Tin/ND
Décio Lima é candidato do PT ao governo do Estado - Foto Flávio Tin/ND

O candidato do PT declarou também não ter motivos para não utilizar a bandeira ou a cor do partido nos programas eleitorais. “O povo de Santa Catarina me conhece, sou uma pessoa de posições politicas, não tenho nada a esconder, e tenho um processo de responsabilidade que é construir uma grande aliança com o povo. Lamentavelmente, Santa Catarina foi vítima de um processo fisiológico de ajuntamento partidário que substituiu os interesses do nosso povo”, respondeu, garantindo que sempre usou a bandeira do PT.

Décio Lima afirmou ainda que não se assusta com a dívida que o governador eleito assume a partir de 2019. “Eu tenho um diagnóstico do Estado e já enfrentei dificuldades maiores quando fui prefeito de Blumenau”, disse, ao citar atraso na folha de servidores públicos e intempéries climáticas.  O candidato revelou disposição de enfrentar as adversidades interrompendo as renúncias fiscais de R$ 6 bilhões previstas para 2019 e fazendo nova convenção com o setor produtivo. “Se continuar esse processo, não terá solução. Além disso, vou extinguir todas as ADRs (Agências de Desenvolvimento Regional) que se transformaram em subdiretórios de partidos e não representam a descentralização”, prometeu.

Para fazer um “Estado forte”, Décio Lima foca em investimentos na Educação, dobrando o piso salarial dos professores e inovando nas escolas com ciência e tecnologia.  Os recursos sairão das desonerações fiscais que representam mais de três folhas salariais do magistério de Santa Catarina. “Nós temos uma política errada e por isso, nos últimos 16 anos, o Brasil cresceu 37% no PIB e Santa Catarina ficou para trás, com 31%, porque excluiu as cadeias produtivas”, completou.

Publicidade

5 Comentários

Publicidade
Publicidade