Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Criador de Mafalda veta uso da personagem contra lei do aborto na Argentina

Recentemente, foram divulgadas imagens de Mafalda usando no pescoço um lenço azul no qual se lê o slogan da campanha "salvemos as duas vidas"

Folha de São Paulo
Buenos Aires, Argentina
21/07/2018 às 17H32

BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - O cartunista argentino Quino, criador da personagem Mafalda, lançou um comunicado nas redes sociais pedindo que não se use a personagem na campanha anti-Lei do Aborto.

O senado argentino votará no próximo dia 8 se aprova ou não a interrupção da gravidez até a 14ª semana, e há dois grupos de ativistas em campanha no país.

Em Buenos Aires é comum ver lenços verdes e azuis serem vendidos nas ruas.

Os que estão a favor da aprovação usam lenços e bandanas verdes, os que estão contra, um lenço azul celeste, cor da bandeira argentina.

Recentemente, o segundo grupo divulgou imagens de Mafalda usando no pescoço um lenço azul no qual se lê o slogan de sua campanha: "salvemos as duas vidas".

Nas redes sociais também está sendo divulgada frase atribuída a Quino em que diz estarem usando sem sua permissão a imagem de sua personagem na campanha de legalização do aborto. "Mafalda estará sempre a favor da vida, não coloquem nela, portanto, um lenço verde, porque sua cor é a celeste", diz o texto.

Quino, que acaba de completar 86 anos, falou ao Clarín sobre o assunto na quinta (19) e divulgou comunicado nas redes sociais.

"Difundiram imagens de Mafalda com o lenço azul, que simboliza a oposição à lei de interrupção voluntária da gravidez. Não a autorizei, não reflete minha posição e solicito que seja removida. Sempre acompanhei as causas de direitos humanos em geral, e a dos direitos da mulher em particular, a quem desejo sorte em suas reivindicações", diz.

Na conta de Mafalda no Twitter, também na quinta (19), divulgou-se esclarecimento de que Quino nunca autorizou o uso da imagem da personagem por campanhas antiaborto. "Quino não se manifestou nem a favor nem contra a legalização do aborto", afirmou a mensagem.

Em 2014, nas comemorações de 50 anos de criação da personagem que odeia sopa, Quino, nome assinado pelo cartunista Joaquín Salvador Lavado, disse que sua criatura é porta-voz de suas ideias.

"As ideias que Mafalda propaga são as minhas, e eu não sou um homem feliz, vendo tudo que acontece no mundo. Estou bastante amargurado e transmiti à minha personagem as amarguras que eu sinto", disse ele então.

Filha mais velha de uma família de Buenos Aires, a personagem de tirinhas mais célebre da Argentina estampou publicações de 1964 a 1973. Em suas histórias, a menina sempre tinha opinião sobre tudo.

Mafalda protestava contra os pais e outros adultos, colocando ordens em questão.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade