Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Celulares e smartphones são os itens mais reclamados desta Black Friday

A cada hora uma nova queixa é registrada, a maioria relacionada a propaganda enganosa, problemas para finalizar compras e divergência de valores, segundo os registros do Reclame Aqui

Folha de São Paulo
São Paulo (SP)
24/11/2017 às 20H35

TATIANA VAZ/ SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ainda que as pessoas estejam comprando produtos mais caros nesta Black Friday, a quantidade de reclamações dos clientes na data deve ficar um pouco abaixo do que a registrada no ano passado. Ao menos é isso o que aponta o balanço parcial feito até a tarde da sexta (24), com dados da plataforma de reclamações Reclame Aqui, pelo Procon-SP e pela consultoria Ebit, do Buscapé.

De acordo com o Reclame Aqui, a cada hora uma nova queixa é registrada, a maioria relacionada a propaganda enganosa, problemas para finalizar compras e divergência de valores. O site registrou 2.378 reclamações até as 17h, número que deve fechar pouco abaixo das 2.900 feitas em 2016.

Celular e smartphone aparecem na liderança dos itens mais reclamados, seguidos de TVs e perfumes. E também na lista dos mais comprados, depois dos eletrodomésticos, segundo o Ebit.

O número de pedidos cresceu 23% para 887 mil entre 0h e 23h59 de quinta-feira (23) e o tíquete médio caiu 2%, de R$ 491 para R$ 483, apontou o monitoramento da plataforma de reclamações.

Para este ano, a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) estimativa um faturamento de R$ 2,506 bilhões, valor 18% acima ao registrado em 20116.

Falsa promoção

Quase metade de todos os 633 atendimentos feitos pelo Procon-SP na data foram de queixas, a maioria delas relacionadas às grandes varejistas do país. CasasBahia.com, Extra.com e Ponto Frio, do grupo GPA, lideram as reclamações, seguidos do Magazine Luzia e B2W.

Um levantamento da reportagem, que acompanha desde o mês passado a variação dos preços de 719 itens participantes da Black Friday mostra que metade deles custava menos antes da "promoção" -ainda que o número seja menor ao registrado na mesma data do ano passado.

Nas redes sociais, segundo apurou a empresa de análise de dados Airfluencers, 268 mil comentários sobre a data foram feitos, sendo que 44,6% deles eram negativos. As marcas mais citadas foram Apple (69%), Samsung (15%) e Sony (9%). Números consolidados das vendas e das reclamações da Black Friday serão divulgados até segunda-feira (27).

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade