Publicidade
Terça-Feira, 17 de Outubro de 2017
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Projeto da prefeitura e Casan prevê área própria para banho em trecho da Beira-Mar Norte

Promessa é que a região entre o GBS até a Ponta do Coral seja liberada para banhistas entre os meses de agosto e de setembro de 2018

Michael Gonçalves
Florianópolis
11/10/2017 às 18H07

Banho de mar na Beira-Mar Norte de Florianópolis com a placa de balneabilidade própria emitida pela Fatma (Fundação Estadual do Meio Ambiente) para o verão de 2019, é o que promete o projeto Florianópolis de Frente para o Mar, lançado nesta quarta-feira (11) pelo prefeito Gean Loureiro e o presidente da Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento), Valter Galina. O objetivo principal do projeto é tratar a água despejada pelas galerias em uma das áreas mais nobres da capital catarinense. A licitação será lançada nos próximos dias e o valor estimado é de R$ 24,5 milhões.

Para o tratamento das águas correntes nas 22 galerias, do GBS (Grupo de Busca e Salvamento) até a Ponta do Coral, em uma extensão de 3,5 km, será construída uma URA (Unidade Complementar de Recuperação Ambiental). “Entre agosto e setembro de 2018 nós vamos poder tomar banho de mar na Beira-Mar Norte. Estamos lançando a licitação e a previsão é assinar a ordem de serviço em 90 dias. A URA vai tratar quase 13 milhões de litros por dia”, prometeu o presidente da Casan.

Florianópolis tem 100% da rede coletora de tratamento de esgoto na região central, mas outros fatores causam a poluição da baía. Em áreas de altíssimo adensamento urbano, os coliformes fecais são encontrados nas galerias. Além disso, as ligações irregulares também estão presentes em 50% dos imóveis, segundo estimativa da Casan e da prefeitura.

O engenheiro da Casan Alexandre Trevisan explicou que a grande incidência de bactérias está em locais mais próximos da costa. “A 200 metros da praia já temos uma situação bem próxima da qualidade da água pelos padrões da Fatma. Assim, vamos tratar as águas das galerias com a instalação de cerca de 20 pequenas estações elevatórias que vão bombear até a URA, onde vamos retirar a turbidez e o material sólido, junto com as bactérias, que são os indicadores de balneabilidade”, explicou.

Segundo os parâmetros da Fatma, uma praia é considerada própria para o banho quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras coletadas nas últimas cinco semanas anteriores, no mesmo local, houver no máximo 800 escherichia coli por cem mililitros.

Previsão é de captar 80% das águas nas galerias

Projeto semelhante e bem sucedido vem sendo executado para recuperar o Rio do Brás, no Norte da Ilha. A URA (Unidade Complementar de Recuperação Ambiental) será construída onde já existe uma estação de tratamento da Casan em um dos bolsões da Beira-Mar Norte. Em função disso, não haverá impacto visual. O engenheiro da Casan Alexandre Trevisan disse que os efeitos da recuperação ambiental serão sentidos a partir da intercepção da drenagem.

“Projeto contempla três importantes ações, que começa pela coleta da drenagem em tempo seco, o transporte até a URA e o tratamento. Em tempo seco não teremos mais água escorrendo pelas galerias em direção ao mar. Elas continuarão abertas para verter em dias de chuva, porque a nossa previsão é de captar 80% de todo o material”, detalhou o engenheiro.

As águas nas drenagens serão direcionadas por meio de válvulas e dispositivos de retenção de fluxo.

 

“O retorno para toda a sociedade é imenso”

O prefeito Gean Loureiro acredita na possibilidade de ter uma Beira-Mar Norte com balneabilidade no final de 2018. Gean lembrou após o processo de licitação, a URA deve levar oito meses para ser construída, assim como as ligações com as galerias e depois deste prazo mais um período de três meses para a recuperação ambiental.

 “Além de revitalizar a região, temos um projeto para a concessão da marina da Beira-Mar Norte. É uma área de entretenimento e o nosso papel é intensificar uma utilização saudável com caráter turístico e ambiental para toda a comunidade. O projeto foi um desafio que lancei para a Casan e conseguimos chegar a um valor que compensa, porque o retorno para toda a sociedade é imenso”, destacou.

Gean destacou o novo modelo do programa Se Liga na Rede, que deve ser lançado na próxima semana. Agora, o programa vai permitir o financiamento para a regularização da obra pelo usuário, que será descontado na própria fatura.

 

Como será o tratamento?

Flotação por ar dissolvido – Remove o material em suspensão clarificando a água. Nesse material ficam retiros alguns microorganismos além de parte da matéria orgânica e dos nutrientes;

Desinfecção por ultravioleta – Elimina através da radiação as bactérias presentes na água, destruindo o material genético.

Fonte: Casan

 

Frases

“Estamos destruindo a Ilha há 300 anos e a recuperação da Beira-Mar é mais importante do que a restauração da Ponte Hercílio Luz. A Beira-Mar Norte com condição para banho desperta o lado social, que vai viabilizar o banho de mar das comunidades mais próximas, e o econômico”, disse emocionado o conselheiro do Movimento Floripa Sustentável, o empresário Fernando Marcondes de Mattos.

 

“Essa é a notícia mais alegre e esperada nos últimos anos. Eu que fui criado no Mocotó, assim como centenas de pessoas, poderemos descer o morro e tomar um banho de mar na Beira-Mar. Isto vai mudar a cara da cidade”, comemorou o vereador Tiago Silva (PMDB).

Publicidade

9 Comentários

Publicidade
Publicidade