Publicidade
Segunda-Feira, 25 de Setembro de 2017
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Apreensão de maconha desta semana foi a maior da história de SC, diz delegado

Carregamento estava sob carga de milho solto e o caminhoneiro disse na Deic que não sabia que transportava droga

Colombo de Souza
Florianópolis
19/05/2017 às 20H57

Um carregamento de mais de seis toneladas de maconha foi apreendido na BR-101, em Garuva, pela numa Scania que transportava milho. Foi a maior apreensão da droga de uma só vez na história de Santa Catarina, comentou o delegado Adriano Krul Bini, da Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais). O cereal estava esparramado por cima de 165 fardos da droga. Cada fardo, segundo Bini, pesa entre 38 a 40kg. O motorista da carreta, Éder Fabrício Rosa, 35, contou que não sabia que por debaixo do milho havia drogas. Ele foi autuado em flagrante na Deic.

Carregamento tinha mais de seis toneladas de maconha - Polícia Civil/Divulgação
Carregamento tinha mais de seis toneladas de maconha - Polícia Civil/Divulgação


A investigação foi coordenada pelo delegado da Denarc (Divisão Estadual de  Narcóticos) Pedro Henrique Mendes, com o apoio da Polícia Rodoviária Federal e da Receita Federal. O inspetor chefe da Receita, Marcos Vig, revelou que o órgão dispõe de um serviço de inteligência voltado para o contrabando e o tráfico de drogas, e ressaltou que daqui para frente a intenção é trabalhar em parceria com as polícias estadual e federal.

Segundo o delegado da Denarc, uma das oito divisões da Deic, a investigação iniciou após o recebimento de uma denúncia de que estaria chegando em Santa Catarina uma Scania transportando grande quantidade de maconha. “Fomos para o posto de controle da PRF em Garuva e durante uma semana abordamos mais de 50 caminhões. Quinta-feira à noite encontramos a carreta suspeita”.

Por coincidência, acrescentou o delegado Pedro Henrique, outras duas carretas carregadas de milho seguiam atrás do Scania transportando maconha misturada ao cereal. O motorista foi detido ali e guiou até o destino final, Lauro Muller, escoltado pela polícia. “A terceira carreta descarregou o milho em outro local”, contou o delegado.

Pedro Mendes ressaltou que o que chamou a atenção foi a marca registrada do entorpecente. “Em alguns fardos estão estampados distintivos de um time de futebol da Série A de Santa Catarina e em outros a fotografia de um abacate”.  O delegado acredita que a droga teria vindo do Paraguai, por intermédio do mega traficante Jarvis Chimenes Pavão. Apesar de estar encarcerado fora do Brasil, Pavão continua operacionalizando grandes carregamentos de drogas para o Sul do País. Pavão está com mandado de prisão ativo, por tráfico de drogas, pela comarca de Balneário Camboriú.  De acordo com a polícia, ele se aliou à facção criminosa paulista PCC.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade