Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Apenas com gasolina, a sensação de normalidade volta aos postos da Grande Florianópolis

O etanol e o diesel ainda não chegaram à maioria dos estabelecimentos. O que incomodou os consumidores foram as alterações na forma de pagamento

Michael Gonçalves
Florianópolis
31/05/2018 às 20H28

A sensação de normalidade retorna aos poucos nos postos de combustíveis. Segundo o Sindópolis (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis), até o final da tarde desta quinta-feira (31) quase a totalidade dos 111 postos filiados tinham recebido algum tipo de combustível. Etanol e óleo diesel ainda não chegaram à maioria dos estabelecimentos. Na avaliação do presidente do Sindópolis, Lurran Nascimento de Souza, a tendência é de que a situação volte à normalidade em uma semana. O que incomodou os consumidores foi a mudança na opção de pagamento. Alguns postos que aceitavam cartão de crédito agora recebem apenas dinheiro e cartão de débito. De acordo com o Procon-SC, a informação sobre a forma de pagamento precisa estar exposta ostensivamente.

Alguns postos que aceitavam cartão de crédito agora recebem apenas dinheiro e cartão de débito - Marco Santiago/ND
Alguns postos que aceitavam cartão de crédito agora recebem apenas dinheiro e cartão de débito - Marco Santiago/ND


Acostumado a abastecer e pagar com cartão de crédito, o advogado Cristiano Pinheiro, 38 anos, precisou desembolsar a quantia à vista no débito. Ao perceber a chegada do caminhão-tanque, ele fez o retorno e assumiu o primeiro lugar na fila em um posto na avenida Leoberto Leal, bairro Barreiros, em São José. “O melhor seria pagar no crédito, mas estamos vivendo um momento de exceção e precisamos nos adequar. O importante é ter o combustível à disposição com um preço acessível”, disse.

O gerente de posto Fábio Flores justificou a troca de opção de pagamento pela obrigação de comprar o combustível à vista para ter a prioridade no fornecimento. Nesta quinta, ele recebeu três caminhões com gasolina comum. O primeiro com 20 mil litros abasteceu os veículos das 8h às 14h. Após uma hora sem gasolina, um novo caminhão trouxe mais 10 mil litros e uma terceira carreta com 20 mil litros era esperado.

Fiscalizações

Em Florianópolis, o Procon municipal passou nesta quinta pelos estabelecimentos. Já o diretor do Procon-SC, Michael da Silva, vistoriou os postos nas cidades de Antônio Carlos, Biguaçu, São José e Palhoça. “Com o apoio da Polícia Civil, o Procon visitou vários postos e não encontrou irregularidades. Os preços têm as variações dentro do previsto, mas a opção de pagamento para o consumidor precisa estar exposta de forma clara e ostensiva, porque cada empresário tem a liberdade de definir como quer receber pelo combustível”, explicou.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade