Publicidade
Sexta-Feira, 14 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 22º C

Veja como o São Paulo tem usado o Brasileirão Sub-23 para estreitar relação com a categoria de base

Tricolor tem 'emprestado' alguns jogadores do elenco principal para atuarem no Brasileirão de Aspirantes e colhido bons resultados; coordenador da base explica filosofia do clube 

LANCE!
São Paulo (SP)

 Brenner comemora com Caíque e Rodrigo um gol marcado no Aspirantes. Trio faz parte do elenco profissional e foi emprestado à base  -  (Afonso Pastore/saopaulofc.net)
Brenner comemora com Caíque e Rodrigo um gol marcado no Aspirantes. Trio faz parte do elenco profissional e foi emprestado à base - (Afonso Pastore/saopaulofc.net)


O São Paulo tenta cada vez mais aproximar o departamento de futebol profissional, no CT da Barra Funda, com sua categoria de base, sediada em Cotia. Sob o comando do técnico Diego Aguirre, alguns nomes do elenco principal que não estão recebendo tantas oportunidades têm jogado com o time sub-23, no Campeonato Brasileiro de Aspirantes. A experiência tem sido festejada por ambos os lados.

Embora pareça demérito jogar em uma categoria abaixo do profissional, o São Paulo tem convencido seus jogadores do contrário e colhido bons resultados. Além de manter o ritmo de jogo dos atletas menos utilizados, o Aspirantes é uma chance de demonstrar trabalho e conquistar espaço no elenco principal.

Caso do lateral Régis, que estava encostado após ter seu contrato suspenso, e ganhou a confiança da comissão técnica após atuar com os garotos de Cotia no Brasileirão Sub-23. O jogador, além de ter recuperado prestígio no clube, voltou a brigar pela titularidade na equipe de Diego Aguirre com Bruno Peres.

Em Cotia, a decisão também tem sido comemorada. Afinal, os jogadores mais novos ganham a oportunidade de atuar ao lado de atletas mais experientes e evoluem seu jogo, o que facilita o processo de transição para o elenco principal.

- O objetivo do São Paulo em participar do Campeonato Brasileiro de Aspirantes é justamente para alinhar e aproximar ainda mais a excelente relação que temos com o profissional. Cada vez que os atletas da base têm oportunidade de treinar e entrar em campo em jogos oficiais com atletas do profissional, temos convicção de que o crescimento é exponencial. Os meninos conseguem ter uma evolução não só de velocidade de jogo, como em outras áreas do jogo. Facilita bastante o processo de transição - explicou, ao L!, Pedro Junior Smania, coordenador técnico da base do Tricolor.

Com este propósito, a comissão técnica de Diego Aguirre deve seguir 'emprestando' alguns jogadores do profissional para Cotia. No início desta semana, os atacantes Brenner e Caíque, além do meia Igor Gomes, do goleiro Lucas Perri e do zagueiro Rodrigo - este ainda em processo de transição - ajudaram o Tricolor a bater o Atlético-PR, por 3 a 2, no Aspirantes. O objetivo do clube é manter esta ação e alinhar os trabalhos feitos na categoria de base com o que é realizado no CT da Barra Funda.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade