Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

O recomeço da Chapecoense, um ano depois da tragédia aérea

Clube comemora permanência na elite e busca soluções para indenizar familiares das vítimas; sobreviventes retomaram suas rotinas

Diogo Maçaneiro, Especial para o Notícias do Dia
Chapecó
24/11/2017 às 18H32

A tragédia com o avião da LaMia que matou 71 pessoas completa um ano neste 29 de novembro. O período, marcado por dor, luto, recuperação e briga por indenizações, também foi de muitos holofotes voltados para Chapecó, cidade de 220 mil habitantes no Oeste de Santa Catarina. As luzes da mídia internacional se concentraram na Arena Condá, um estádio acanhado, reformado há poucos anos para abrigar, atualmente, 20 mil pessoas e que deve ser ampliado e modernizado devido ao tamanho da ascensão da Chape no cenário nacional.

Time e torcida ainda se recuperam da tragédia que abalou o mundo - Sirli Freitas/Chapecoense/Divulgação/ND
Time e torcida ainda se recuperam da tragédia que abalou o mundo - Sirli Freitas/Chapecoense/Divulgação/ND




Famílias das vítimas ainda brigam por indenizações na Justiça. A Chapecoense tenta fazer a sua parte e dar aos entes de quem perdeu a vida o que lhes é de direito. O mais difícil é conseguir os valores indenizatórios devidos pela LaMia, companhia aérea responsável pelo transporte da delegação catarinense para Medellín, onde o time faria a primeira partida final da Copa Sul-Americana de 2016 contra o Atlético Nacional.

Em campo, o Verdão do Oeste disputou a Libertadores da América, tropeçou na inexperiência de seus dirigentes e perdeu a vaga nas oitavas de final da competição por escalar um jogador irregular na fase de grupos, de acordo com a Conmebol. Visitou a Europa, foi desafiada por Barcelona de Messi e Suárez, caiu para o Flamengo na emblemática Sul-Americana e não teve chances diante do próprio Atlético Nacional na Recopa Sul-Americana. Mas, ainda assim, o título catarinense e a garantia na Série A 2018 com três rodadas de antecipação fazem com que o ano da Chape feche com chave de ouro. Em campo.

“Cumprimos uma agenda internacional muito dura, mas nós nos preparamos para isso. Imagine você que nós percorremos quase 53 mil quilômetros em agosto, enquanto nossos adversários percorreram mil, 1.500, e nós precisamos ganhar deles. E ganhamos de alguns quando voltamos”, explica o diretor de futebol Rui Costa, responsável pela montagem do elenco desta temporada.

O ano que vem, aliás, deve marcar o retorno à normalidade na Arena Condá. Sem tantos compromissos internacionais e com a reconstrução mais consolidada, tudo leva a crer que a Chapecoense deva almejar resultados mais expressivos. É favorita ao bicampeonato catarinense, está praticamente classificada à Sul-Americana e com remotas chances de jogar a Libertadores. Neste contexto, a expectativa é de uma Série A mais sólida.

  

A memória dos que se foram e o recomeço de quem sobreviveu

Enquanto isso, os sobreviventes retomam, dentro das suas possibilidades, sua rotina. Rafael Henzel segue com a voz marcante nos microfones da Rádio Oeste Capital, Jackson Follmann, com parte da perna direita amputada, atua como embaixador do clube e de forma consistente no vestiário verde, enquanto o zagueiro Neto treina normalmente aguardando uma nova chance. De todos, o lateral-esquerdo Alan Ruschel está em recuperação mais adiantada. Voltou a jogar contra o Barcelona e já está 100% integrado ao elenco.

“Eu sigo aqui trabalhando normalmente. Monto os equipamentos, faço os testes e coloco a transmissão no ar”, explica Henzel, que nos atendeu na Arena Condá justamente no dia em que a Chape garantiu a permanência na elite em 2018.

Já os familiares das vítimas ainda choram suas perdas, seguem a vida e lutam para manter viva a memória de cada um daqueles que fizeram história dentro de campo numa campanha futebolística incrível em 2016 e no coração de todos após a queda do avião. Histórias que se cruzaram e que você poderá acompanhar nesta série do Notícias do Dia, produzida em parceria com a RICTV em Chapecó.

 

A jornada verde em 2017 – oito competições

Campeonato catarinense – campeã

Copa do Brasil – eliminada nas oitavas de final pelo Cruzeiro (que se sagrou campeão)

Campeonato Brasileiro – se garantiu na elite em 2018

Primeira Liga – eliminada na primeira fase

Sul-Americana – eliminada pelo Flamengo nas oitavas de final

Libertadores – eliminada na fase de grupos

Recopa Sul-Americana – vice-campeã

Copa Suruga – vice-campeã


Amistosos

Chapecoense 2 x 2 Palmeiras – 20/1/2017
Barcelona 5 x 0 Chapecoense – 7/8/2017
Lyon 2 x 1 Chapecoense – 8/8/2017
Roma 4 x 1 Chapecoense – 1/9/2017

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade