Publicidade
Terça-Feira, 22 de Janeiro de 2019
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Goleiro de 49 anos é uma das primeiras contratações do Fluminense do Itaum

Tricolor joinvilense começa a preparar time profissional para a Série C catarinense

Lucas Reschke Pavin
Joinville

Visando a Série C do Campeonato Catarinense, o Fluminense do Itaum anunciou nesta semana seus primeiros reforços para a competição. São eles: o lateral-direito Diego Manoel e o zagueiro Andrei, ex-Canoinhas, o lateral-esquerdo Almir, ex-Inter de Lages, que conseguiu o acesso à Série B no ano passado, o volante Roberto Paraná, ex-Caxias, e o goleiro Sílvio, revelado pelo Joinville e com passagens por Grêmio, Marcílio Dias e Brusque. Este último foi a contratação mais surpreendente do Estadual até o momento.

Rogério Souza Jr./ND
Goleiro Sílvio Renato Nunes está confiante em voltar à atividade no futebol profissional



Aos 49 anos, Silvio será o dono da camisa número 1 do tricolor na competição, que credencia ao campeão uma vaga para a Série B do ano que vem. Revelado nas categorias de base do JEC, o arqueiro iniciou sua carreira em 1991 e se aposentou dos gramados quando atuava no Marcílio Dias, em 2003. Atualmente, ele faz parte do projeto de formação de novos atletas no Vila Máquina, onde é responsável pela preparação de goleiros.

Apesar da idade, Sílvio destacou o convite feito pelo técnico do Fluminense, Raffaele Graniti, que precisava de um goleiro experiente para ajudar o clube a conquistar o acesso. Além disso, o atleta aceitou o desafio para realizar um sonho no futebol.

“Tenho muita confiança no Graniti, que é a pessoa que me levou ao Caxias em 2002, onde tivemos muito sucesso e conseguimos subir o clube a Série A” disse. “Eu também quero jogar profissionalmente com meu filho, que segundo a diretoria já passou nas avaliações e podemos atuar juntos no clube”, completou citando o filho Paulo Henrique, de 24 anos, e que vinha atuando no Aviação, pela Primeirona de futebol amador.

Por fim, Sílvio falou da expectativa para a Série C, apontou o Sport Club Jaraguá como principal concorrente ao acesso e a sensação em voltar aos gramados. “Espero o melhor possível no campeonato e hoje é como se estivesse com 19 anos, engrenando no profissional. Estou me cuidando e trabalhando para poder subir junto com o Fluminense, para aí sim, encerrar de vez minha carreira”, finalizou.

 

Companheiro de trabalho confiante

Técnico e companheiro de trabalho no Vila Máquina, Amilton Pitanga conheceu Sílvio no Paraíba de Joinville, em 2009, e desde lá sondava o arqueiro para fazer parte do projeto, tendo em vista a formação de novos atletas. Contratado há dois anos para ser o responsável pela preparação de goleiros, Pitanga destacou a importância de Sílvio para os jovens do projeto e a sua volta ao futebol profissional.

“É muito importante ter ele, porque é uma pessoa que tem muita bagagem no futebol e serve como motivação para os meninos não só do gol, mas da linha também”, afirmou. “O Sílvio participou de um amistoso há uma semana e se saiu muito bem. Não vai ser aquele goleiro que se destacou no Grêmio, mas vai trazer a experiência e segurança para a zaga do Fluminense”, finalizou.

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade