Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Atletas da ginástica rítmica de Joinville se destacam nos Jogos Escolares da Juventude

Mariany Miyamoto, que vem de conquista extraordinária em Londrina (PR), está entre as promessas nacionais da modalidade

João Batista (JB)
Joinville

Destaque inquestionável da ginástica rítmica nos Jogos Escolares da Juventude, na etapa de 12 a 14 anos, em disputa da semana passada, em Londrina (PR), a ginasta joinvilense Mariany Miyamoto, 13, está entre as promessas da modalidade para representar a cidade em grandes competições. Se as Olimpíadas de 2016 não estão no horizonte em função da idade, não custa sonhar alto e já vislumbrar uma presença na seleção para os Jogos Olímpicos de 2020. Mariany estaria praticamente em casa na competição, a ser sediada em Tóquio, no Japão.

 

Luciano Moraes/ND
Amanda (à esquerda) e Mariany são as duas grandes promessas da ginástica rítmica de Joinville

 

 

“Acho que dá para pensar em 2020. A gente sempre pensa em conquistar bons resultados e quem está treinando como a gente não quer nunca baixar o nível”, comentou a atleta. Dedicada nos treinos e determinada diante dos desafios, Mariany já detinha credenciais importantes na categoria com os ouros conquistados em 2011, pelo Sulamericano na Venezuela, e em 2013, nas competições realizadas na Bolívia. Na edição 2013 dos Jogos Escolares, em Natal (RN), ela levou três bronzes e uma prata, desempenho que superou todas as expectativas neste ano no interior paranaense.

Além de faturar todos os quatro ouros em disputa – bola, fita, individual e equipe – a atleta foi coroada com o Prêmio Powerade pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro), um troféu que destaca a melhor atleta do torneio do meio de votação. Foi a primeira vez que uma competidora catarinense da categoria recebeu a distinção. Além da performance em quadra, a escolha levou em conta características da personalidade da garota. A técnica Vanessa Hagemann observou que o prêmio foi anunciado no sábado, antes das medalhas individuais conquistadas no dia seguinte.

“Esse resultado veio mostrar que ela pode muito mais. É o fruto do trabalho que fazemos aqui. A Mariany é uma ginasta muito boa e muito determinada e isso faz toda a diferença”, avaliou. Apesar do contentamento, Vanessa é cautelosa com as expectativas, principalmente em relação ao sonho olímpico. “Considerando a idade, outras atletas estão um passo mais à frente. Ela teria que se manter sempre no topo até 2020”, ressaltou.

Foco para compartilhar novas medalhas

Também campeã por equipe na delegação catarinense em Londrina, Amanda de Oliveira, 14, é outro destaque entre as ginastas da cidade. Vice-campeã na última edição dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, ela tem feito dobradinha com Mariany e se revezando nas conquistas da modalidade pelo Estado. “As pessoas estão olhando bastante para elas. São as duas grandes promessas de Joinville”, assegura a técnica.

Após os bons resultados dos últimos jogos, os treinos no Ginásio Municipal de Ginástica Rítmica visam agora à participação nos campeonatos Estadual, entre 19 e 20 de setembro, e Brasileiro, entre 8 e 12 e outubro, em São Luís (MA). Conforme Amanda, não vai faltar dedicação para ao menos ficar entre as finalistas no torneio nacional.

“Todas as atletas estão num nível muito bom, então é preciso criar um diferencial. Eu me cobro bastante. Sei que, com bastante treino e esforço, a gente pode conseguir”, argumentou. Vice no Brasileiro em 2013, mas disputando pela categoria infantil, Mariany quer voltar a fazer bonito, agora no juvenil, impulsionada pelo ouro em Londrina. “Agora é melhor para conseguir um bom resultado. A esperança é bastante grande de ganhar”.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade