Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Delegação joinvilense no Parajasc conta com 150 atletas

A cidade vai competir nas modalidades de atletismo, bocha, basquete, ciclismo, natação, tênis de mesa e xadrez

Redação ND
Joinville

A partir desta terça-feira (27) até o próximo sábado (31), 150 atletas representam Joinville na 10ª edição dos Parajasc (Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina). A competição está sendo disputada em Chapecó, no Oeste do Estado. A cerimônia de abertura foi realizada na noite de segunda-feira (26), no ginásio do SESC, com grande público. As competições começaram na manhã desta terça.

Phellipe José/Divulgação/Secom/ND
Delegação de Joinville participou da abertura da competição


A delegação de Joinville conta ao todo com 180 pessoas, entre atletas, técnicos, dirigentes e pessoal de apoio. A cidade vai competir nas modalidades de atletismo, bocha, basquete, ciclismo, natação, tênis de mesa e xadrez. “Joinville vai brigar pelas primeiras posições”, disse Rosicler Ravache, coordenadora do Departamento de Paradesporto da Felej. No ano passado, em Joaçaba, Joinville ficou com a segunda colocação geral. O título foi conquistado pela cidade de Itajaí.

Antes da competição, os paratletas passam por avaliação da Comissão Funcional, profissionais que analisam o grau de deficiência de cada participante. São atletas com deficiência auditiva, intelectual, física e visual.

E para cada modalidade há especificidades para a classificação funcional baseadas nas habilidades funcionais, identificando as áreas chaves que afetam o desempenho do atleta para a performance básica do esporte escolhido.

As deficiências correspondentes às modalidade são representadas por siglas, oficializadas pelo Comitê Paralímpico Internacional e fazem sempre referência ao nome da modalidade ou da deficiência em inglês, e os números indicam o grau de comprometimento de acordo com a lesão.

Cada esporte tem um próprio sistema de classificação funcional do atleta, realizado através de três avaliações. Primeiro, é feito um exame físico para verificar exatamente de qual patologia o competidor sofre. Depois, na avaliação funcional, são realizados testes de força muscular, amplitude de movimento articular, medição de membros e coordenação motora. A última etapa é o exame técnico, que consiste na demonstração da prova em si, com o atleta usando as adaptações necessárias. São observadas a realização do movimento, a técnica utilizada, assim como as próteses.

Nos Parajasc, a equipe de classificadores funcionais é formada por 25 profissionais entre médicos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, psicólogos, psicopedagogos e professores de educação física. Grande parte destes profissionais pertence ao Comitê Paralímpico Brasileiro.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade