Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Basquete de Joinville aposta na categoria de base para espantar a crise

Equipe saiu este ano do NBB e procura patrocínios para voltar à categoria de alto rendimento

Lucas Reschke Pavin
Joinville

O basquete de Joinville não fechou as portas. Apesar da JBA (Joinville Basquete Associados) perder a vaga no NBB (Novo Basquete Brasil), a modalidade aposta nas categorias de base para reerguer a equipe de alto rendimento. Presidida por Kelvin Soares, a AABJ (Associação dos Amigos do Basquete de Joinville) é responsável por revelar grandes talentos no esporte e, atualmente, é referência em Santa Catarina.

 

Mauro Artur Schlieck/ND
A AABJ vai disputar com sua equipe Sub-22 a LDB (Liga de Desenvolvimento de Basquete)

 

Sem grandes investimentos para se manter na Liga Nacional, o basquete adulto da cidade é representado no Campeonato Catarinense com base nas jovens promessas. Além disso, a AABJ vai disputar com sua equipe Sub-22 a LDB (Liga de Desenvolvimento de Basquete), que ocorre em setembro e é considerado um grande celeiro da nova geração da modalidade no país.

“São garotos de qualidade e vão poder provar isso durante o certame da LDB que envolve todos os clubes que também participam do NBB, e que talvez seja o primeiro passo para pensarmos em um dia retornar com a equipe profissional”, disse Kelvin Soares. “Existe uma equipe adulta trabalhando em Joinville, mas é formada por garotos da nossa base”, reforçou.

Segundo Soares, a modalidade nunca irá morrer porque a base é forte e se Joinville pretende retornar a elite do basquete nacional, vai precisar destes atletas. Fora de quadra, a história é diferente. É preciso captar patrocinadores que façam a sustentação destes talentos para que eles não deixem a cidade em busca de novos rumos na carreira e o sonho de jogar profissionalmente. Este fenômeno vem ocorrendo nos últimos anos, onde muitas promessas reveladas em Joinville optam por centros maiores que fornecem esta desejada sustentabilidade.

“Estamos dentro do esporte e entendemos isso de uma forma mais natural. O esporte é muito cíclico. Nós temos aqui o exemplo da Tigre, que o projeto durou apenas um ano. Então o esporte de rendimento é assim”, finalizou.

Patrocínios

Para voltar a jogar profissionalmente, o basquete de Joinville depende da iniciativa privada. A conquista de apoiadores e patrocinadores estava cada vez mais difícil desde a temporada 2012/2013, até culminar na exclusão do NBB neste ano. O grande entrave para esta falta de recursos é que a modalidade não possui funcionários fazendo este trabalho de captação de patrocínios. “Se porventura alguma empresa privada tiver o interesse de patrocinar o basquetebol para fazer uma equipe de alto rendimento, a AABJ e a própria JBA estarão abertos para propostas”, afirmou Soares.

Caso estes recursos sejam obtidos novamente, fazendo com que Joinville tenha condições de disputar uma Liga Nacional, a missão para retornar ao NBB não será fácil. Isto porque, a equipe terá que passar por algumas etapas classificatórias. Primeiro, teria que disputar a Copa Brasil Sul, onde recebe o direito de estar na Supercopa. Nesta competição, o time precisa garantir o título ou o vice-campeonato para participar da Liga Ouro, equivalente à segunda divisão do basquete no Brasil.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade