Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

América é o maior vencedor do futebol amador de Joinville

Com vitória de virada, o time conquista neste domingo o bicampeonato na Primeirona

Adrieli Evarini
Joinville
Divulgação
América comemorou a 17ª conquista de título na Primeirona

 

Uma bola dividida na área já nos acréscimos fez com que os torcedores do América prendessem a respiração. A defesa do goleiro Bambam marcou o fim do campeonato e o início da comemoração. O apito final ecoou no campo do Tamandaré assim que o goleiro evitou o que seria o empate da Tupy e levaria o jogo para a prorrogação. Uma defesa confiante e dois gols do camisa nove, Kiko garantiram o bicampeonato para o América. E, mais do que isso, tornou o time o maior vencedor da Primeirona de Joinville, com 17 títulos na conta. Ultrapassando justamente o adversário deste domingo (15), a Tupy, que possui 16 conquistas.

Um jogo digno de final, de um lado a melhor defesa, do outro, o melhor ataque. E nesse cabo de guerra, quem levou a melhor foi a defesa. Com apenas 12 gols sofridos em 19 jogos, o time do América, entrou em campo para enfrentar um rival com fome de gols. As redes dos adversários da Tupy balançaram 61 vezes. Mas, a qualidade no ataque não funcionou na decisão. Velhos conhecidos, os times reeditaram a final do ano passado.

Logo aos cinco minutos do primeiro tempo, parte da torcida presente no Estádio da Colina soltou o grito de gol. As camisas amarelas se agitaram quando Anderson, o artilheiro do campeonato, abriu o placar para a Tupy. A partir daí, o jogo ficou ainda mais intenso. A rivalidade estava estampada nos gritos que surgiam da arquibancada a cada falta marcada ou lance de perigo. Com duas equipes tão regulares, a igualdade no placar veio ainda no primeiro tempo. Aos 22 minutos, Kiko empatou a partida e fez, dessa vez, as camisas vermelhas se agitarem, dentro e fora de campo.

O segundo tempo era o momento de decidir o campeonato. E não demorou para que o time campeão tomasse a iniciativa e chamasse a responsabilidade. Logo aos dois minutos, Kiko novamente balançou as redes da Tupy e colocou o América à frente do placar.

Ataque e contra-ataque, bolas divididas na área, chute de longa distância, faltas e cruzamentos. Todas as tentativas foram realizadas pelas duas equipes, mas o placar permaneceu intacto, até que Bambam garantisse o bicampeonato em uma defesa que durante um segundo calou o estádio e no segundo seguinte fizesse explodir o coração dos torcedores do América.

Jogadores das duas equipes destacam trabalho em grupo

Dois gols em uma final de campeonato não é para qualquer um, e Kiko, de apenas 24 anos sabe disso. “Fico muito feliz em poder contribuir para o título”, comenta. Mas, mais do que isso, ele sabe a importância do trabalho em equipe para a conquista de um título, especialmente em uma disputa tão tradicional. “Nós já tínhamos a expectativa de que brigaríamos com a Tupy pelo título. Além da rivalidade, o decorrer do campeonato foi mostrando isso. Cada jogador do América é responsável por essa conquista. A equipe é  muito forte e o resultado é a conquista”, avalia.

Destaque na final, Kiko, que já jogou profissionalmente – seu último clube foi o União Barbarense, de São Paulo – conta que já recebeu duas propostas para voltar a atuar de forma profissional, uma de um clube catarinense e outra de um time gaúcho. “Vou analisar as propostas, ainda não decidi nada, o momento é de comemorar esse título”, ressalta.

Para o artilheiro do campeonato, com 24 gols, e vice-campeão, Anderson, o jogo foi um reflexo do campeonato inteiro das duas equipes: igualdade e qualidade. Ele enfatiza a estrutura que os jogadores possuem para trabalhar e se diz orgulhoso com o vice-campeonato. “Temos estrutura que time profissional não tem e o resultado é a qualidade e vontade dentro de campo. É amador, mas a dedicação que cada um dá está longe de ser amadora”, destaca.

A Taça Luiz Carlos Guedes foi erguida pelo América, o vice-campeonato ficou com a Tupy e o terceiro lugar com o Pirabeiraba. Além dos times, foram premiados o goleiro menos vazado: Bambam (América), o artilheiro do campeonato: Anderson (Tupy) e a equipe mais disciplinada: América.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade