Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Educação passa por mudanças e é um dos motivos de orgulho de Joinville

Nos dez anos de existência do jornal Notícias do Dia, reportagem mostra transformações no setor em uma década

Rosana Ritta
Joinville
16/11/2016 às 21H46

Dia 15 de novembro de 2006. Na página 19 da editoria de Cidade do ND, reportagem de educação, uma das primeiras publicadas no jornal fundado dias antes, que passara a circular no dia 6 de novembro, trazia a seguinte manchete: “Recordações da Escola Conselheiro Mafra”. Nela, o autor lembrava que o colégio público mais antigo do Estado comemorava 95 anos.

Colégio Conselheiro Mafra viveu em 2013 o ocaso de sua história e hoje a sede aguarda um destino digno de sua trajetória - Fabrício Porto/arquivo/ND
Colégio Conselheiro Mafra viveu em 2013 o ocaso de sua história e hoje a sede aguarda um destino digno de sua trajetória - Fabrício Porto/arquivo/ND



Escola por onde passaram nomes de referência em Joinville, entre eles o artista plástico Juarez Machado, o senador Carlos Gomes de Oliveira e uma das fundadoras do Colégio Bom Jesus, o Conselheiro Mafra era saudado como patrimônio da educação de Joinville. Na foto, uma orgulhosa ex-aluna que fez carreira como professora, Alice da Silveira Murara, mostrava o boletim de sua época de estudante.

Desde que esta reportagem foi publicada, há mais de uma década, muita coisa mudou na educação na cidade. Grandes conquistas, evolução tecnológica e uma nova forma de educar estão em constante adaptação.

A nota sombria fica mesmo por conta do fim das atividades no Colégio Conselheiro Mafra. Depois de ter sido alvo de constantes interdições pela precariedade das instalações centenárias, o Conselheiro Mafra viveu em 2013 o ocaso de sua história e hoje a sede aguarda um destino digno de sua história.

Porém, se um dos estabelecimentos mais antigos fechou suas portas, outros foram surgindo ao longo dos anos. Escolas que estão ajudando a mudar vidas e a transformar os bairros onde estão inseridos. O próprio governo do Estado está construindo duas delas, uma no bairro Vila Nova e outra no Parque Guarani. E em setembro deste ano, o governador Raimundo Colombo anunciou que a recém-reformada Escola Osvaldo Aranha, no bairro Glória, deve ser transformada em escola para filhos de militares.

Ideb reflete o esforço da rede municipal de Ensino 

Apesar de problemas pontuais, o que o ND observou nesta década de existência em que acompanha os principais fatos da cidade, é que a educação é um dos setores em que se registram os melhores  desempenhos. Basta para isso conferir os índices do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

A educação da rede municipal de Joinville apresentou avanços em 2015. E duas escolas da rede municipal tiveram os melhores resultados no Estado e um dos melhores do País. Entre elas está a Escola Municipal Adolpho Bartsch, de Pirabeiraba, que ganhou a avaliação 8,9 nas séries iniciais (4º ao 5º ano), ficando na quarta colocação nacional. Também nas séries iniciais, a Escola de Educação Básica Professora Lea Maria Aguiar Lepper obteve nota 7,7, seguida de perto por outra vizinha no bairro Saguaçu, a Escola de Educação Básica Gustavo Augusto Gonzaga, com 7.6. Já a Escola Municipal Pastor Hans Müller, do bairro Glória, teve o índice 7,2 nas séries finais (6º ao 9º ano), com o terceiro melhor desempenho nacional. A Lea Lepper aparece de novo entre as melhores das séries finais, com 6,3.

O resultado de 2015, divulgado recentemente pelo Ministério da Educação, classificou o município com notas avaliadas acima da média estadual e nacional. No levantamento apresentado, as séries iniciais (1º ao 5º ano) das escolas da rede municipal tiveram desempenho de 7,0, ultrapassando a meta para o município, que era de 6,8. Já nas séries finais (6º ao 9º ano), o índice registrado foi de 5,7.

Uma escola que é um paraíso

O diretor da Escola Municipal Adolpho Bartsch, Fábio de Almeida Doin, ficou feliz, pois esta é a terceira vez que a unidade é a melhor do Estado (2011, 2013 e 2015). Em entrevista para o Memória Escolas, ele destacou que o comprometimento de toda a equipe, a implantação de um sistema próprio de avaliação e acompanhamento, além da formação continuada e a parceria com as famílias foram fundamentais para que a escola tivesse um grande desempenho. E na escola, todos os ambientes refletem este trabalho. É uma escola para crianças, onde elas brincam de casinha, e são tratadas como crianças que são. Na Educação de Jovens e Adultos, mais agradáveis surpresas, como o aluno mais idoso, que aos 81 anos é um dos mais assíduos. Graças ao ensino, ele aprendeu a ler e escrever e pode tirar sua carteira de motorista.

Além dos bons índices no Ideb, o que não tem faltado são prêmios para as escolas municipais e estaduais. Fruto de um destes prêmios, no dia 9 deste mês o cantor e escritor Gabriel, o Pensador, visitou a Escola Municipal João Costa. Recebido com emoção e boa dose de incredulidade pelos mais de 700 alunos e mais professores e funcionários da unidade, Gabriel visitou a escola do bairro de mesmo nome, da zona Sul de Joinville, graças a um prêmio conquistado pela professora Marlete Teresa Rodrigues Cardoso, que inspirou um texto da professora.  “Na verdade eu não quero ensiná-los a ler, mas sim a gostar de ler. Quando eu era criança, eu não pude estudar. Então o que eu digo sempre para os meus alunos que eles aproveitem ao máximo, porque o tempo é algo precioso.”, enfatizou a professora, ao lado do Pensador.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade