Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

A escola no bairro Glória, em Joinville, que é a "família" do pastor Hans Müller

Como o mesmo nome do seu fundador, estabelecimento de ensino foi inaugurado no dia 6 de março de 1972

R. Szabunia, especial para o ND
Joinville
30/10/2016 às 16H31

Na esparsa biografia do pastor luterano Hans Müller, um legado para os joinvilenses, na forma do colégio que leva seu nome, localizado na rua também batizada em sua homenagem, num cantinho do bairro Glória.

O colégio hoje tem- 64 funcionários, sendo 41 professores e- 880 alunos de 1º ao 9º anos do ensino fundamental - Divulgação/ND
O colégio hoje tem- 64 funcionários, sendo 41 professores e- 880 alunos de 1º ao 9º anos do ensino fundamental - Divulgação/ND


“A localização num bairro histórico da cidade, a população atendida e as pessoas que fizeram e fazem essa história é que nos permitem chamar a Escola Municipal Pastor Hans Müller de ‘família’”, afirma a diretora Silvana Maria da Silva Ravache. Mais recente integrante da “família Hans Müller”, Silvana assumiu a função em junho passado, transferida da E. M. Pedro Ivo Campos, onde era auxiliar de direção. “Montei um projeto de gestão que foi aprovado, o que me proporcionou a nomeação para o cargo”, informa Silvana. Em 26 anos de carreira, formada em pedagogia pela ACE e pós-graduada em gestão escolar pela Unisociesc, ela lecionou nos colégios Laura Andrade, Pedro Ivo e Max Colin. Em 1997, assumiu o cargo de supervisora, depois auxiliar de direção no Pedro Ivo, até enfim encarar o desafio de dirigir o Hans Müller.

Silvana já percebeu as diferenças: “O Pedro Ivo, por se localizar numa área industrial no Costa e Silva, tem características bem diversas, próprias de um bairro grande e em constante expansão. Já aqui, uma região tipicamente residencial e habitada há muito tempo pelas mesmas famílias, há uma proximidade maior com alunos e pais, noventa por cento deles com ensino superior, além da sucessão de gerações no colégio”. Tal fato pôde ser comprovado no dia da reportagem, quando as ex-professoras presentes corroboraram a característica da perpetuidade familiar. Várias das convidadas contaram ser mães de ex-alunos – e também avós de alunos atuais.

História de 40 anos

A Escola Municipal Pastor Hans Müller foi criada pelo decreto nº. 2.277/71 de 17 de maio de 1971, e foi inaugurada no dia 6 de março de 1972 pelo prefeito Harald Karmann. Seu patrono foi o religioso responsável pela edificação da segunda igreja luterana de Joinville, a Cristo Bom Pastor, no bairro Anita Garibaldi.

O colégio começou a funcionar, segundo os registros, em 1976, com quatro salas de aula, num tempo em que o bairro Glória pouco tinha da movimentação atual. Na região da escola, porém, a tranquilidade ainda é semelhante a quarenta anos atrás. A estreita rua Pastor Hans Müller é uma via de ligação entre as ruas Jaú e Alberto Schweitzer, integrando um quadrilátero completado pela Marechal Hermes e pela Campos Salles. Na vizinhança, em frente fica a Paróquia Cristo Redentor, de um lado algumas casas e no outro o CEI Peter Pan. De barulho, ali, só a normal algazarra da criançada no intervalo e o lava-jato do pessoal da zeladoria lavando a escadaria de entrada.

Ah, sim, tanto a diretora Silvana quanto as demais componentes da equipe administrativa fazem questão de provocar um grande barulho para comemorar, pela terceira vez, a performance do colégio na avaliação do Ideb: primeiro lugar entre as melhores notas de 9º ano de Santa Catarina, e o terceiro em todo o Brasil: 7,2. Na avaliação das séries iniciais, a nota foi a quinta melhor de Santa Catarina, 7,9. “Eu vim só pra comemorar, pois esse é o resultado de um trabalho que vem sendo feito há muito tempo pela equipe, com apoio da APP e a dedicação dos alunos”, credita a gestora.

“É a terceira vez que o colégio se destaca no Ideb, graças a essa dedicação”, reforça uma das antecessoras de Silvana na direção, Maria Margarida Rosso Cardoso. Margarida passou 26 anos de seus 38 de magistério no Hans Müller, primeiro como professora e depois como diretora, até se aposentar em 2009. “Fui a segunda diretora, sucedendo a pioneira Maria Borges Silva, com quem aprendi muito”, agradece a ex-diretora, destacando também a parceria que o colégio mantém com a paróquia luterana vizinha de portão. “Graças a eles, que cederam um terreno, há dez anos pudemos inaugurar nossa quadra de esportes.”

Reencontros

Elogios e boas lembranças de Maria Borges Silva se estenderam durante todo o reencontro, entre risos e muito choro. Como o de Simonete Vitorino. Sem largar as mãos das ex-colegas – e amigas de sempre – Tereza Tavares Cognaco e Noêmia Santana, dizia entre lágrimas: “Toda a minha base da educação devo às colegas e a dona Maria”. Atleta da seleção joinvilense de handebol nos anos 80, hoje morando em Blumenau, Simonete foi a primeira professora de Educação Física do Hans Müller, onde ficou sete anos.

Tanto Tereza quanto Noêmia integraram a primeira turma do corpo docente. “Fiquei aqui até me aposentar”, disseram as duas. Noêmia ainda mantém laços com a escola, onde estudaram sete netos e dois ainda estão lá. Outra que deu aulas, matriculou dois filhos no colégio e hoje tem uma neta no corpo discente é Rosane Maris Rosenstock Sdrigotti. “Nunca deixo de ser professora”, garante Rosane, professora de 1979 a 89.

Filhos estudando no Hans Müller também tiveram Marlene Lucas (professora e depois auxiliar de direção, de 1985 a 2009) e Marilza Elisabete Grando Lazzari (professora de Ciências de 1993 a 2015). Professora de classes especiais de 1979 a 85 no Hans Müller, Laci Maria Busko reforçou a admiração geral pela primeira diretora: “Maria era uma mãezona para os professores”.

Ana Heloísa Silva com o retrato da mãe, Maria Borges, primeira diretora - Fabrício Porto/ND
Ana Heloísa Silva com o retrato da mãe, Maria Borges, primeira diretora - Fabrício Porto/ND

Mamãe diretora

A mais emocionada admiradora de Maria Borges, porém, era uma ex-aluna do Hans Müller. Segurando o retrato da mãe, Ana Heloísa Silva relembrava: “Fui da primeira turma do colégio, e levo até hoje as lições aprendidas aqui”. Mas não faltam recordações um tanto peculiares. “Hoje, tanto tempo depois, dá pra contar. Às vezes eu acordava sem disposição pra ir à aula de manhã, e mamãe me deixava ir à tarde”, confessa. Mesmo assim, Ana Heloísa merece um elogio da ex-diretora Margarida Cardoso: “Ela sempre foi excelente aluna”.

Rosane Hille (direita) está há 27 anos no Hans Müller, a estagiária Vanessa Medeiros fez o ensino fundamental ali - Fabrício Porto/ND
Rosane Hille (direita) está há 27 anos no Hans Müller, a estagiária Vanessa Medeiros fez o ensino fundamental ali - Fabrício Porto/ND


Mestra e pupila

Entre tantas ex, a reportagem também contou com a presença de duas professoras do quadro atual. Mais antiga docente em atividade, Rosane Hille está há 27 anos no Hans Müller, sempre à frente das séries iniciais. Em suas aulas, é auxiliada pela estagiária Vanessa Medeiros. Aluna do último semestre de Pedagogia na Anhanguera, Vanessa fez o ensino fundamental ali mesmo. “Foi uma de minhas melhores alunas”, elogia a mestra Rosane. “Sou muito grata à Rosane pelo que me ensinou quando criança e pelo que estou aprendendo agora com ela, no dia a dia”, retribui Vanessa.

Hans Müller, nascido em 15 de agosto de 1892 em Frankfurt, na Alemanha, chegou a Joinville em outubro de 1921 - Reprodução/ND
Hans Müller, nascido em 15 de agosto de 1892 em Frankfurt, na Alemanha, chegou a Joinville em outubro de 1921 - Reprodução/ND


O construtor da segunda igreja

A Comunidade Evangélica Luterana de Joinville tem, em seus arquivos, informações sobre a biografia do pastor Hans Müller. Ele dedicou grande parte da vida à consolidação da comunidade luterana e deixou como principal obra a igreja Cristo Bom pastor, a segunda da igreja luterana em Joinville.

Hans Müller, nascido em 15 de agosto de 1892 em Frankfurt, na Alemanha, chegou a Joinville em outubro de 1921. Foi professor e dedicou-se à tradução para o português de serviços litúrgicos e das partituras de 132 corais, até então escritos em alemão. A primeira edição das obras do pastor deu-se em 1939.

Junto com o pastor Karl Müller, Hans iniciou em 1938 a coleta de fundos para a construção da igreja na atual rua Eugênio Moreira. Com o retorno do colega à Alemanha, Hans tocou a obra sozinho, lançando a pedra fundamental da Igreja Cristo Bom Pastor no dia 5 de novembro de 1939. O pastor faleceu no dia 26 de dezembro do mesmo ano, sem poder assistir à inauguração do templo, em fevereiro de 1941.

Valores

A Escola Municipal Pastor Hans Müller, tendo como filosofia que a educação existe em função do homem e considerando que o homem é o responsável e o artífice principal de seu êxito, baseia seus esforços na personalização das novas gerações, tendo como objetivo o desenvolvimento integral da potencialidade humana, promovendo a educação da criança e do jovem, dentro dos princípios morais e cristão democrático, respeitando sua individualidade, condições físicas e econômicas.

O colégio hoje

- 64 funcionários, sendo 41 professores

- 880 alunos de 1º ao 9º anos do ensino fundamental

- 14 salas de aulas utilizadas

- Laboratório de informática, sala de recursos multifuncionais para Atendimento Educacional Especializado, quadra de esportes coberta, auditório, pátios coberto e descoberto e área verde

- Rua Pastor Hans Müller, 102, bairro Glória, telefone 47/3453-1872, blog emphmuller.blogspot.com.br

Publicidade

4 Comentários

Publicidade
Publicidade