Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Pão e vinho: a mais clássica das misturas, com o toque refinado de um especialista na arte da panificação e na enologia. Conheça os tipos de vinho, as características de cada um, as maneiras de harmonizar a bebida com as mais variadas refeições. Imperdível.

Conheça os três vinhos brasileiros entre os melhores do mundo

Outros 14 vinhos brasileiros conquistaram medalhas no Decanter Word Wine Awards

João Lombardo

Três vinhos brasileiros, dois do Rio Grande do Sul e um do interior de São Paulo, conquistaram importantes premiações no Decanter World Wine Awards, um dos mais respeitados concursos mundiais do setor, promovido, desde 2004, pela revista inglesa Decanter. Foi a primeira vez que o Brasil chegou ao topo do ranking, em meio à avaliação de 16 mil amostras do mundo inteiro. Dois vinhos são da Casa Valduga: o Leopoldina Chardonnay 2015 e o Leopoldina Merlot 2012. O terceiro vinho é o Guaspari Vista do Chá Syrah 2012.

As premiações confirmam que os vinhos brasileiros atingiram um nível de qualidade internacional. São vinhos bem feitos, que trazem as particularidades das regiões em que são produzidos. Vinhos com estilos próprios. E que, diante da realidade cambial, estão se tornando bastante competitivos. 

Os vinhos do Vale dos Vinhedos apresentam gostoso frutado. O Leopoldina Chardonnay tem excelente frescor. O Leopoldina Merlot apresenta boa estrutura tânica e vocação para a guarda. Já a região de Espírito Santo do Pinhal, divisa com Minas Gerais, no estado de São Paulo, apresenta vinhos consistentes de Syrah, macios, carnudos. Vinhos produzidos com uvas cultivadas pela técnica de dupla poda, com colheita no outono/inverno. No caso, o Guaspari Vista do Chá, que conquistou medalha de Ouro no concurso.

Outros 14 vinhos brasileiros conquistaram medalhas no Decanter Word Wine Awards. São rótulos das próprias Casa Valduga e Guaspari e também das vinícolas Aurora, Salton, Perini e Domno do Brasil. 

Provei os dois vinhos da Casa Valduga que receberam medalha de Platina. Essa categoria foi incluída no concurso este ano. Ela substituiu o troféu de melhor vinho regional, dos concursos anteriores. Apenas 130 vinhos em todo o mundo conquistaram essa medalha.

 

João Lombardo/ND

Casa Valduga Terroir Leopoldina Chardonnay 2015 – Casa Valduga – Vale dos Vinhedos – Bento Gonçalves - RS

100% Chardonnay. Passagem de 10 meses por barricas de carvalho. Teor alcoólico de 12%. Cor amarelo palha. Aromas frutados, abacaxi maduro, maçã , cítricos. Madeira bem integrada à fruta, nota de baunilha, mel. Nariz muito limpo. Boca com acidez gostosa, frutado no paladar, macio, bom volume e boa permanência. Harmoniza com pratos de frutos do mar, molhos à base de manteiga, lagosta, vieiras. Excelente custo/benefício. (Essen – R$ 57,60)

 

João Lombardo/ND

Casa Valduga Leopoldina Merlot 2012 – Casa Valduga – Vale dos Vinhedos – Bento Gonçalves – RS

100% Merlot. Passagem de oito meses por barricas de carvalho francês. Teor alcoólico de 14%. Cor vermelho rubi, média intensidade. Aromas de frutas vermelhas maduras, amora, framboesa. Notas de especiarias, canela, cravo, sutil toque herbáceo, louro, nota de couro. Acidez moderada no paladar, taninos finos, médio corpo. Harmoniza com filé ao molho de vinho tinto, cordeiro assado, pratos com carne bovina. (Essen - R$ 74,50)

Provei também um lançamento da vinícola Guaspari, o vinho de entrada da vinícola paulista. Veja as notas de prova:

João Lombardo/ND

 

Guaspari Vale da Pedra Syrah 2015 – Vinícola Guaspari – Espírito Santo do Pinhal – SP

100% Syrah. Estágio de seis a oito meses em barricas de carvalho. Teor alcoólico de 14%. Cor púrpura de média intensidade. Aromas de frutas maduras, framboesas, cerejas negras, ameixas. Sutil nota de especiaria, toque de chocolate. Fresco e macio, taninos polidos, frutado. Gostoso de beber.  Harmoniza com carnes grelhadas, costelinha suína, preparos com caças de pena. (Essen – R$ 94,80)

Jennifer Lawrence

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade