Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

  • Lei barra volta de Gabrielli à Petrobras em caso de vitória do PT

    Comemorado por uns, e rejeitado por outros, como potencial presidente da Petrobras caso Fernando Haddad (PT) se eleja presidente da República, o coordenador da campanha do petista ao Planalto, José Sérgio Gabrielli, é carta fora do jogo do Poder se vislumbra essa hipótese.

    Ele, que já ocupou por anos o cargo, fica proibido pela nova Lei das Estatais (nº 13.303), sancionada em 2016. O Artigo 17, Parágrafo Segundo, Inciso II da Lei é claro: é vedada a indicação para cargo de conselho de administração e diretoria quem atuou, nos últimos 36 meses, “como participante de estrutura decisória de partido político ou em trabalho vinculado a organização, estruturação e realização de campanha eleitoral”.

    A Lei barra não só Gabrielli na Petrobras ou em qualquer cargo de estatal, em eventual Governo Haddad, como também a sua trupe de técnicos que o segue na campanha.

    Primeira infância

    A Rede Nacional Primeira Infância lançou a campanha “Criança é[...]

    Leia mais
  • Ministério da Cultura poderá reabrir Mercadinho São José

    Tradicional reduto cultural e da boemia de Laranjeiras, no Rio, o recém-fechado Mercadinho São José vai voltar. A Medida Provisória 852, de sexta-feira, assinada pelo presidente Michel Temer, transfere o imóvel decano para a tutela do Ministério da Cultura. Caberá à pasta regulamentar a situação do prédio para a retomada do pólo gastronômico, e agora em contratos com os inquilinos. A situação sub judice se arrastava há duas décadas. O INSS reclama ter tido o local invadido e não receber aluguéis da área, e ganhou a ação na Justiça Federal. Pesou, porém, a articulação do próprio órgão e de outras frentes para não cerrar as portas do local. Enfim, o prédio sai do rol de imóveis do INSS que serão leiloados para fazer caixa.

    Palco vive

    Nessa MP, entrou na lista também, para a tutela do Ministério da Cultura, o tradicional Teatro Cacilda Becker. Viva o Rio!

    Intensivão

    Ciro Gomes (PDT) escolheu o Rio de Janeiro, São Paulo e alguns Estados do[...]

    Leia mais
  • Receita estima arrecadar R$ 30 milhões/ano com taxação sobre lucro

    Presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), Cláudio Damasceno classifica como “surpresa positiva” a discussão por parte dos presidenciáveis sobre um possível retorno da tributação de lucros e dividendos de sócios e acionistas de empresas. Levantamento da entidade mostra que, se a cobrança for retomada pelo próximo presidente, a arrecadação aos cofres públicos irá aumentar em estupendos R$ 30 bilhões anuais. “Para nossa satisfação, essa medida, que pregamos há algum tempo, está na agenda de diversos candidatos”.

    Ficou no papel

    “A isenção dos lucros e dividendos vem de uma Lei de 1995, portanto, do governo FH, e de lá para cá diversos Governos passaram e não retomaram a tributação”, explica.

    Ganhou, pagou

    É assim em muitos países, e é o que a reforma tributária em discussão prega, para não afetar a maior parte da população de baixa renda como hoje: lucro sobre[...]

    Leia mais
  • FHC puxa PSDB para fechar com Haddad

    É o grão tucano Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República, quem puxa um discreto movimento interno para o PSDB fechar com o PT de Fernando Haddad – caso haja segundo turno e este passe à etapa eleitoral. João Dória Jr, que disputa o governo de São Paulo com chances e novo expoente do partido, e Geraldo Alckmin – que acredita ir para o 2º turno – são contra, assim como suas claques. O movimento por ora não passa de ideologia. A social democracia base das duas legendas nunca se afinou no Congresso Nacional, e por causa da disputa presidencial dos últimos anos. Mas nas hostes do tucanato, há quem aposte que o projeto de FHC pode dar certo.

    Justificativa

    FHC lembra a amigos que foi ele, em seu governo, que criou o Bolsa Gás e o Bolsa Escola, programa sociais que se fundiram no Bolsa Família de Lula da Silva.

    Na moita

    Trackings de grandes empresas e alguns partidos do Rio apontam que Jair Bolsonaro (PSL) tem praticamente 50% dos votos do Estado do[...]

    Leia mais