Publicidade
Terça-Feira, 18 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Leandro Mazzini é jornalista, escritor e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. Iniciou carreira em 1994, e passou pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Correio do Brasil, Agência Rio entre outros. O blog é editado por Mazzini com colaboração de Walmor Parente e equipe de Brasília, Recife e São Paulo.

  • Dois anos após posse, Temer cria Conselho da Transparência

    Preocupado com a investigação da Polícia Federal sobre um decreto que supostamente beneficia empresa no Porto de Santos, e com a mais baixa popularidade da História, o presidente Michel Temer só agora, dois anos depois de tomar posse, decidiu dar mais transparência à gestão. O Decreto nº 9.468, publicado ontem no D.O., cria o Conselho de Transparência Pública e Combate à Corrupção. Será composto por 14 membros, entre titulares e suplentes, de vários ministérios e do Palácio. Abriu vaga também para uma entidade civil que tenha experiência em dados e controle de fiscalização.

    Pós-APO

    A Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO) existe há mais de ano. Mas só ontem o Palácio a oficializou no Decreto 9.466, que regulamenta a lei que a criou.

    MC Lasca

    Em tempos de crise de credibilidade política, os candidatos também não ajudam. Foi registrado no TSE a candidatura de MC Bandida (Avante) a deputada distrital no DF.

    Bloco do cardápio

    Frente[...]

    Leia mais
  • Vazia, Vice-Presidência consumiu quase R$ 5 milhões nos últimos sete meses

    Sem ocupante desde maio de 2016, a Vice-Presidência da República consumiu dos cofres públicos, no últimos sete meses, mais de R$ 4,91 milhões. O cargo está vago desde que o então titular, Michel Temer, assumiu a Presidência - interinamente e depois definitivamente - no lugar da petista Dilma Rousseff, apeada pelo impeachment. Dados do Portal da Transparência mostram que os gastos do órgão em 2016 e 2017 somaram, respectivamente, R$ 11,28 milhões e 11, 99 milhões.    

    Dispendiosa

    Apenas oito servidores, em funções comissionadas, integram os quadros da dispendiosa Vice-Presidência da República. Além dos salários, os milhões são destinados para manutenção do órgão e despesas com água, luz e limpeza.  

    Não sobra um

    O novo ministro do Trabalho, Caio Luiz Vieira de Mello, tem 24 infrações trabalhistas - inclusive por trabalho análogo à escravidão - revelou a Folha.

    Vista grossa

    Onde estão a ABIN e o GSI na análise de currículos para[...]

    Leia mais
  • Bancada do MDB na Câmara exige candidatura própria ao governo de Minas Gerais

    Enquanto o presidente Michel Temer segura o partido contra coligações que possam prejudicar seu projeto de poder, a bancada federal do MDB na Câmara entregou carta à cúpula da legenda, à qual a Coluna teve acesso, exigondo candidatura própria ao Governo de Minas Gerais. Os deputados impuseram a condição de que a Executiva apresente, até 15 de julho, os nomes dos pré-candidatos dos partidos da coligação na disputa para a Câmara em Brasília e para a Assembleia de Minas.

    Porta aberta

    O movimento é o rompimento oficial com o PT do governador Fernando Pimentel. E tem efeito paralelo: abre caminho para Dilma Rousseff se candidatar ao Senado.

    Dois pesos

    Já em Alagoas e Ceará, o MDB se alia ao PT. Questão de sobrevivência para Eunício Oliveira e Renan Calheiros, respectivamente, que tentarão a reeleição para o Senado.

    Fator STF

    A operação da Polícia Federal contra fraudes na obra do Rodoanel de SP não teve condução coercitiva, claro. Em compensação,[...]

    Leia mais
  • Temer e Lula blindam cúpula de alianças regionais

    O presidente Michel Temer, com o camburão na porta, e o ex-presidente Lula da Silva, detento condenado, seguem estratégias similares no comando dos dois maiores partidos às vésperas da campanha eleitoral: blindam a cúpula de alianças regionais que possam inviabilizar seus projetos de poder. Temer mantém Henrique Meirelles (MDB) pré-candidato para que os diretórios não debandem em coligações heterodoxas. Lula faz o mesmo com o PT ao forçar uma candidatura impossível diante da Lei da Ficha Limpa. Assim segura o partido nos Estados ante o risco de esfacelamento da legenda.

    Ou seja..

    ..Tanto Lula, diante da Lei, quanto Meirelles, pela sobrevivência do MDB que deve se aliar a um nome forte, não serão candidatos, apostam congressistas. A conferir.

    Amarras

    Temer controla um plural MDB. Vislumbra um futuro em que tentará se reeleger presidente do partido para não perder o Poder – que já perde como inquilino do Palácio.

    Brasil 1 x 0

    Em tempos de festa junina[...]

    Leia mais